O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

By autson autson.com

A real necessidade da Ambulância


 

Existe uma visão muito errada do senso comum sobre o real trabalho e funcionamento de uma ambulância. Nossa missão é esclarecer e destacar pontos fundamentais para que a população passe a pensar certo sobre tais acontecimentos.

Entenda como uma ambulância é equipada:

Os principais itens são: kits para remoção (maca, colares, pranchas, cintos, cadeira de rodas) e pequenas cirurgias (pinça, bisturi, tesouras), aparelhos elétricos (desfibrilador, respirador e bomba de infusão) e remédios variados.
Todos esses equipamentos estão presentes numa ambulância avançada, que é basicamente uma mini-UTI. As mais simples, que apenas transportam pacientes sem gravidade, têm só equipamentos básicos, como respirador de oxigênio, colares cervicais, bandagens e soro.

Ambas atendem uma pessoa por vez. Dentro do veículo vão um socorrista, dirigindo, um médico e um enfermeiro. E, quando é preciso salvar uma vida, vale passar no vermelho, entrar na contramão e andar acima da velocidade-limite.
Mas a ambulância não escapa das multas. Depois, o hospital recorre das infrações, cometidas por uma causa justa. A ambulância corre mais (chega a 160 km/h) quando está indo buscar o paciente. Para atender a um "código vermelho" (pessoa sob risco de morte), a ordem é voar baixo, com luz e sirene ligadas, para chegar ao local em até 15 minutos.
Depois que todo o seu aparato é usado, o retorno ao hospital costuma ser "menos rápido".

Tudo para salvar vidas

Uma ambulância avançada pode ser mais equipada que muito hospital público

Pulmão artificial

O respirador é um aparelho que, literalmente, respira pelo paciente, quando o caso é muito grave. Ele bombeia oxigênio para os pulmões de acordo com uma programação específica para cada caso. Em ambulâncias simples, este equipamento pode ser mecânico

Tomada

A ambulância avançada tem uma tomada, para ser "carregada". Como os aparelhos são elétricos, precisam de uma fonte de energia. Se as baterias se esgotam, um inversor transforma os 12 volts de uma bateria de carro em 110 volts

Bolsas coloridas

As bolsas seguem um padrão internacional de cores. A vermelha leva soro, agulhas e mangueiras. A roxa tem desde drogas como adrenalina, atropina e ancoron (para ataques cardíacos) até uma aspirina. Na azul vão cateter, máscara e tubos. E na amarela, sondas

Outros equipamentos

A equipe ainda dispõe de: monitor cardíaco, quatro cilindros de oxigênio, avental, fraldas, versaforme (um colchonete com bolinhas de isopor que assume qualquer forma), oxímetro (mede a taxa de oxigênio no sangue), bandagens, esparadrapos, extintor e cobertores

Na veia

A bomba de infusão é similar às encontradas em hospitais. Ela controla o fluxo de soro ou de medicamento injetado na veia do paciente. É programada para "pingar" determinada quantidade da substância em intervalos de tempo regulares.

E é por isso, que muita gente pensa que na hora do “rush” as ambulâncias ligam a sirene só para poder acelerar.
Na verdade, além de todo equipamento hospitalar, Ela é equipada com tefefone, rádio e GPS, podendo receber um pedido de emergência e socorro a qualquer momento e se estiver parada no transito, pode sim, “do nada” receber a grande urgência!!

É importante lembrar que nossas ambulâncias lidam com vidas e por isso nada pode ficar em nosso caminho.

A Interne Soluções em Saúde tem orgulho de seu serviço de UTI’s móveis que contribuem para salvar tantas vidas ao longo do percurso.