O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Respirar pela boca prejudica qualidade de vida da criança


Foto: Sam Hatch/Stock.xchng

A respiração bucal pode causar diversos problemas às crianças relativos ao sono. Da Redação Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

De acordo com Gerson KÍhler, ortodontista e ortopedista-facial, uma das implicações da obstrução nasal é a respiração bucal. "Respirar pela boca interfere diretamente no crescimento e desenvolvimento da face infantil", ressalta. A obstrução nasal gera deficiências na capacidade de aquecimento, umidificação e filtração do ar pelas narinas, favorecendo que o ar seja inspirado pela boca.

Como a respiração compõe as funções vitais do organismo, qualquer desequilíbrio causa inúmeras alterações em diferentes órgãos e sistemas. "Alterações no crescimento do crânio e da região dentofacial, na qualidade do sono, no desempenho escolar, na fala, na alimentação e na postura corporal são algumas das consequências da respiração bucal", pontua o ortodontista. O especialista em ortodontia e ortopedia facial Juarez KÍhler afirma que a respiração bucal é um dos sintomas mais comuns na infância e seus efeitos são péssimos, trazendo consequências para o resto da vida se não houver o tratamento precoce e adequado. "As alterações interferem na qualidade de vida da criança. Desde o nascimento o organismo está programado para respirar pela via aérea nasal e assim deve ser durante toda a vida, mesmo que haja resistências Í passagem de ar pelo nariz", observa.

A respiração bucal influencia ainda o sono das crianças. Ronco, baba noturna, síndrome da apneia e hipopneia obstrutiva do sono (transtorno crônico que obstrui parcial ou totalmente as vias aéreas durante o sono) são alguns dos problemas que dificultam uma boa noite de descanso, ocasionando dificuldades de atenção, concentração e de aprendizagem e hiperatividade. "Dormir com a boca aberta prejudica ainda o equilíbrio interno e externo da boca e dos músculos, inclusive da língua. O desequilíbrio na musculatura facial gera uma deficiência funcional importante e significativa", evidencia Juarez.

http://www.band.com.br/jornalismo/saude/conteudo.asp?ID=100000430772