O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Transtornos - Insônia

 Imagem meramente ilustrativa web 

A insônia é considerada entre os transtornos do sono a principal queixa. Insônia é a percepção que a pessoa tem de seu sono não ser suficiente, restaurador. Pode acontecer no início do sono (dificuldade para adormecer), durante (a pessoa desperta diversas vezes durante a noite) e no final (a pessoa acorda antes da hora). Pode durar poucos dias (causada por problemas tensionais), várias semanas ou anos (forma crônica).


Causas

Existem vários fatores, tanto externos quanto internos. Entre os fatores externos estão o barulho excessivo, claridade, temperatura (calor ou frio demais), colchão ou travesseiro ruins ou parceiros com distúrbios do sono como ronco, por exemplo. O trabalho em turno, a vivência de situações estressantes, o uso de estimulantes como cafeína e tabaco e não ter horários regulares para dormir são condições que também propiciam a insônia.


Há ainda a insônia causada pela depressão, doenças que causam dores, como as reumáticas e fibromialgia, transtornos mentais, obesidade (que dificulta a respiração), problemas respiratórios como a asma e por efeitos colaterais de certos medicamentos.

Tratamento

O tratamento da insônia depende da(s) causa(s) diagnosticada(s), da sua duração e intensidade. Podem ser usados medicamentos específicos para dormir, ansiolíticos ou antidepressivos. Dependendo da situação, são propostas mudanças de hábito e de comportamento, que o paciente deverá colocar em prática:

  • Deite-se e levante-se sempre à mesma hora.
  • Evite "“"tentar dormir”. Deite-se apenas se estiver realmente com sono e não permaneça na cama acordado por mais de meia hora.
  • Se isto acontecer, levante-se, faça uma atividade tranqüila e volte para a cama só quando estiver com sono.
  • Durma somente o tempo necessário, que para um adulto geralmente varia entre 6 e 8 horas.
  • Faça exercícios leves diariamente, até seis horas antes de dormir.
  • Use um colchão adequado ao seu peso e em boas condições.
  • De 4 a 6 horas antes deitar, evite atividades estimulantes como exercícios físicos, ingestão exagerada de líquidos, cafeína, álcool, refeições pesadas e tabaco.
  • Eleve a cabeceira da cama, diminua o barulho e temperatura excessiva, apague a luz  e crie um ambiente tranqüilo no quarto. Evite cochilar e use roupas confortáveis.
  • Ao deitar desligue-se dos problemas do dia e pense em situações amenas e prazerosas.
  • Aprenda a lidar com o estresse e não use remédios para dormir sem receita médica, pois alguns podem causar dependência e prejudicar a saúde.
  • Faça um lanche leve. Se gostar, beba certos chás, como erva cidreira e maracujá, que podem ajudar.

.Fonte: http://www.fundasono.org.br/


Fibromialgia - É uma síndrome que causa dor e rigidez nos músculos e nas articulações, além de problemas do sono e a fadiga crônica diurna. Apesar de atingir pessoas de todos os sexos e idades, as mulheres de meia idade são as mais afetadas.

A combinação da dor e de problemas do sono prejudica ainda mais os o pacientes com fibromialgia, porque se forma um círculo em que a dor impede o ato de dormir e, por outro lado, a privação do sono agrava as dores. O tratamento médico para a redução no distúrbio do sono geralmente melhora os sintomas da dor.

A causa não é conhecida, mas há fatores diversos relacionados à fibromilagia como crises repetitivas de estresse, acidentes de carro ou outros acontecimentos traumáticos. Em alguns casos, pessoas da mesma família sofrem do problema, embora os pesquisadores não tenham certeza se isto está ligado a causas genéticas ou ambientais. A depressão e a ansiedade podem também ser sentidas por alguns pacientes.

Fonte: http://www.fundasono.org.br/gera_conteudo.asp?materiaID=446