O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Grupo INTERNE HOME CARE obteve grande conquista junto a Ministério Público

em 07/04/2008

O Grupo INTERNE HOME CARE de nossa associada Paula Meira , obteve uma grande conquista em relação a mão de obra cooperada junto a Ministério Público. Contrária a seu desejo, porém obrigada por lei a assinar o TC em 2005, iniciou uma árdua trajetória na busca de soluções legais, maduras e justas para o problema que ameaçava sua empresa e da atividade como um todo. Foram inúmeras as alternativas e possíveis soluções exaustivamente estudadas e analisadas para serem apresentadas ao Ministério Público, na tentativa de reverter uma decisão que certamente em um curto espaço de tempo invibializaria a atividade de Home Care  em sua organização e consequentemente nas demais empresas de todo Brasil. 

Durante este longo período, reunindo fatos, informações consistentes e relevantes desta matéria, ela apresentou sua tese como defesa e apresentou ao Ministério Público do Trabalho  sob o fundamento da mão de obra cooperada dos auxiliares e técnicos de enfermagem aplicada especificamente nas residências.

Este órgão, após interpretação da tese, entendeu ser procedente os argumentos apresentados, expediu logo em seguida parecer favorável a defesa apresentada sob o TAC assinado naquela ocasião.

Respeitando a privacidade do documento, destacamos somente o trecho reconhecendo a defesa da tese:

COORDENADORA DA DEFESA DOS INTERESSES DIFUSOS E COLETIVOS

CODIN - 6ª REGIÃO

TERMO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº. 034/2008

(REPRESENTAÇÃO Nº. 706/2004)

•  As empresas se comprometem a respeitar a legislação trabalhista vigente, em especial, para não manter trabalhadores laborando sem o registro da CTPS, quando presentes os requisitos caracterizadores da relação de emprego quais sejam, trabalho prestado por pessoa física, pessoalidade, onerosidade, subordinação jurídica, alteridade e não-eventualidade.

•  Considerando a especificidade dos serviços prestados pelo segmento de Home Care, as empresas signatárias se comprometem a manter empregados, abstendo-se de utilizar de cooperativas de mão de obra, para desempenho das seguintes funções: motoristas de ambulância, trabalhadores que laboram no setor de farmácia, enfermeiras supervisoras, empregados que exerçam funções administrativas, médicos e fisioterapeutas.

As nossos associados fica a certeza que atitudes como esta, fortalecem nosso desejo de continuar lutando a favor da sobrevivência do Home Care no setor privado.

Representando a ABEMID na qualidade de presidente, parabenizo nossa querida amiga Paula Meira por esta importante conquista.

Abraços,

Franco A Cavaliere

Presidente ABEMID