O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Apneia do sono


Fonte: Jornal Cidade

Ana Ligia Noale

"“"Quanto maior a perda de peso, maior a melhora dos sintomas da apneia do sono”, esta é a conclusão à qual chegaram pesquisadores do Instituto Karolinska de Estocolmo (Suécia). Para eles, uma dieta baixa em calorias e que ajude a perder peso poderia beneficiar as pessoas que sofrem de apneia do sono, que afeta particularmente a população obesa ou que está acima do peso. Segundo Shigueo Yonekura, neurologista do Instituto de Medicina e Sono de Campinas e Piracicaba, a apneia é caracterizada pelo fechamento repetitivo do ar pela garganta durante o sono, provocando múltiplos despertares à noite e sonolência excessiva diurna. "“"O portador da síndrome adormece, para de respirar, acorda, reinicia a respiração, torna a adormecer, para de respirar novamente e assim por períodos sucessivos ao longo da noite. Cada vez que a respiração cessa, o nível de oxigênio no sangue baixa e o músculo do coração trabalha intensamente, levando a um aumento da tensão arterial e por vezes a graves arritmias cardíacas durante a noite”, afirma o médico.

Para Yonekura, a apneia pode inclusive comprometer a qualidade de vida do paciente, provocando sonolência excessiva diurna, dificuldades de concentração, irritabilidade, ansiedade, depressão, perda da libido, dores de cabeça matinais, queixas de insônia e boca seca. "“"O distúrbio também pode representar sérios problemas à saúde. Estudos mostram que a apneia está associada ao aumento na incidência de infartos do miocárdio, derrames cerebrais e arritmias cardíacas”, acrescenta o neurologista.

Como muitos pacientes que sofrem de apneia estão acima do peso, Yonekura acredita que exercícios físicos e alimentação saudável são as palavras de ordem para quem quer amenizar os sintomas do distúrbio. Os especialistas do Instituto Karolinska acompanharam durante um ano a evolução de 63 homens com idades compreendidas entre 30 e 65 anos e um índice de massa corporal (IMC) de entre 30% e 40% (o IMC normal varia de 18,5% a 24,99%).

Desses 63 pacientes, 58 seguiram uma dieta saudável e baixa em calorias e participaram de um programa de orientação no qual recebiam conselhos para manter o peso alcançado, além de informação sobre nutrição e a prática de atividades físicas. As pessoas que perderam peso após nove semanas e conseguiram mantê-lo ao longo de um ano sentiram efeitos positivos nos sintomas da apneia. Segundo os especialistas, 48% dos pacientes passaram a não precisar mais da máscara para respirar, que habitualmente utilizam, enquanto 10% deixaram de apresentar os sintomas da apneia.

Leia mais no site: http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/dia-a-dia/saude/80183--APNEIA-DO-SONO--