O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Distúrbios do sono afetam 290 mil em Ribeirão


Fonte: EPTV.COM

Cerca de 290 mil pessoas em Ribeirão - quase metade da população - sofrem de doenças do sono. Mais de 160 mil ribeirão-pretanos têm problemas graves. A estimativa é do neurologista Alan Luiz Eckeli, médico-assistente do Hospital das Clínicas e membro titular da Academia Brasileira de Neurologia.

Os três distúrbios do sono mais comuns e mais sérios são a insônia crônica, a síndrome da apneia obstrutiva e a síndrome das pernas inquietas. Há também os problemas considerados "menos graves", como o sonambulismo.

Entre todas as doenças, a apneia é considerada a mais crítica. O distúrbio aumenta a incidência de mortalidade por infarto e acidente vascular cerebral (AVC). Pessoas que sofrem de apneia também se envolvem em mais acidentes automobilísticos e de trabalho. De acordo com o especialista, 90 mil ribeirão-pretanos podem ter a doença com intensidade de moderada a grave. Eckeli lembra ainda que há pessoas que sofrem com mais de uma doença do sono.

Fim do ronco

Há oito meses, o servidor público Ênio César Marchini, 46 anos, se trata de apneia gravíssima. Ele chega a ter 96 paradas respiratórias por hora enquanto dorme. Marchini descobriu a doença após a mulher dele reclamar de roncos de madrugada. "Eu não sentia nada de diferente, mas hoje sinto uma grande melhora na qualidade de vida. Não fico bocejando no meio do dia, não sinto necessidade de dormir depois do almoço", diz.

A melhora ocorreu desde que o servidor começou a dormir com o CPAPs, equipamento utilizado para regular a respiração, por meio de injeções de ar. O equipamento, que custa entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, foi conseguido junto ao Ministério Público de Ribeirão Preto. "Apesar do tamanho, já me acostumei a dormir com ele. Felizmente, porque é para a vida toda".

Tratamento

Referência no Estado em Medicina do Sono, o HC de Ribeirão possui apenas quatro leitos para a especialidade. O encaminhamento ocorre a partir das UBSs. Porém, só há disponibilidade de consultas para novos pacientes em 2013. Ao todo, são 320 atendimentos por mês. "Não temos uma equipe suficiente para atender toda a população, apesar de sermos qualificados e possuirmos equipamentos adequados", diz o neurologista.

Saiba sobre as doenças

Apneia do sono

• Sintomas: Sonolência diurna, roncos, prejuízo cognitivo, insônia, sintomas depressivos e ansiosos, excesso de suor, muitas micções noturnas, impotência sexual, redução da libido e respiração bucal;

• Riscos: Prejuízos na qualidade de vida, aumento da incidência de mortalidade secundária a infarto agudo do miocárdio (IAM), acidente vascular cerebral (AVC);

• Causa: Genéticas e ambientais;

• Tratamento: Redução do peso, melhoras de hábitos de vida, alguns tipos de cirurgia (quando indicada) e uso de aparelhos de pressão positiva.

Insônia crônica

• Sintomas: Dificuldade para iniciar o sono, múltiplos despertares, despertar precoce e/ou sono de má-qualidade;

• Riscos: Maior risco de doenças psiquiátricas;

• Causa: Estresse;

• Tratamento: Melhoras dos hábitos relacionados ao sono, uso de medicamentos específicos e a terapia cognitivo-comportamental.

Síndrome das pernas inquietas

• Sintomas: Desconforto nas pernas (dor, formigamento, ardor);

• Causa: Doença de origem genética, provavelmente associada a uma deficiência de ferro no sistema nervoso;

• Riscos: Doenças cardiovasculares como IAM, AVC e a hipertensão;

• Tratamento: Atividade física moderada, evitar algumas medicações e o uso de medicamentos específicos.

Conteúdo retirado do site: http://www.jornalacidade.com.br/editorias/cidades/2011/08/14/disturbios-do-sono-afetam-290-mil-em-ribeirao.html