O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Inatividade Física


A Inatividade física está relacionada a 22% dos casos de doença isquêmica do coração e por 10% a 16% dos casos de diabetes e de cânceres de mama, cólon e reto.


Os brasileiros estão mais sedentários, segundo a pesquisa do Ministério da Saúde. Apenas 1/3 dos adultos (30%) residentes em capitais praticam volume recomendado de atividade física em seu tempo livre e 14% são considerados inativos. Outro dado importante é que 27% da população assistem diariamente a no mínimo três ou mais horas de televisão. (Saúde Brasil/2011).

Segundo a OMS, a inatividade física causa 3,2 milhões de mortes por ano. Está relacionada a 22% dos casos de doença isquêmica do coração e por 10% a 16% dos casos de diabetes e de cânceres de mama, cólon e reto.

Dados sobre a inatividade física por capitais

A frequência de adultos classificados na condição de inatividade física (indivíduos que não praticaram qualquer atividade física no lazer nos últimos três meses e que não realizam esforços físicos intensos no trabalho, não se deslocam para o trabalho ou para a escola a pé ou de bicicleta, perfazendo um mínimo de 10 minutos por trajeto, por dia, e que não participam da limpeza pesada de suas casas) variou entre 8,8% no Rio de Janeiro e 23,9% em Rio Branco. Entre homens, as maiores frequências de inatividade física foram observadas em Natal (22,1%), Teresina (21,8%) e João Pessoa (19,9%); e, as menores, Porto Alegre (7,8%), Florianópolis (8,9%) e Rio de Janeiro (9,0%). Entre mulheres, as maiores frequências foram observadas em Rio Branco (35,0%), Recife (26,6%) e São Luís (25,3%); e, as menores, no Rio de Janeiro (8,6%), Florianópolis (9,5%) e Porto Alegre (11,2%).


Fonte: http://apsredes.org/site2013/vocesaudavel/2013/04/03/inatividade-fisica/