O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Crossfit e outros treinos que beneficiam sua saúde e devem virar tendência em 2014


Nos treinos intervalados de alta intensidade, nem sempre a pressa é inimiga da perfeição. Conheça os exercícios que estão modificando a forma de encarar a atividade física, como o Crossfit, e saiba como eles podem beneficiar a sua saúde


Um novo jeito de trabalhar o corpo vem chacoalhando a ciência do esporte. Seu nome é treino intervalado de alta intensidade ? e a prova de que ele deve ganhar espaço em 2014 vem de uma enquete promovida pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte, realizada com mais de 3.800 profissionais da área. O objetivo dos especialistas era justamente apontar quais modalidades lotarão academias, parques, quadras e pistas no ano que vem. Para surpresa da própria entidade, o primeiro lugar ficou com essa prática já em franca ascensão.

Esse tipo de treino aposta em atividades vigorosíssimas e que se valem de movimentos que fortalecem o corpo inteiro de uma só vez. A malhação convencional, ao contrário, costuma adotar um ritmo moderado e trabalhar grupos musculares isoladamente. "O princípio básico da nova modalidade é oscilar entre estímulos muito intensos e breves períodos de descanso", define o professor de educação física Tony Meireles, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Hoje, seu principal expoente no Brasil se chama Crossfit.

Se são pra lá de cansativos, os desafios do tal treinamento também encurtam o tempo de suadouro: de 20 a 30 minutos diários dão conta do recado, vantagem para quem reclama da falta de espaço na agenda. Outro ponto que desperta atenção é propiciar acentuada queima de gordura. "A intensidade elevada acelera o metabolismo, que passa a gastar mais energia, mesmo depois de terminada a atividade", explica Gustavo Drago, educador físico do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

Por uma malhação segura

À primeira vista, um esforço tão extenuante como o exigido pelo Crossfit parece perigoso, o que leva à falsa noção de que sujeitos sedentários, com problemas de saúde ou acima dos 60 anos seriam proibidos de realizá-los. "Porém, como os tiros são curtos e há um período de relaxamento, o risco de complicações é pequeno", garante o cardiologista Daniel Kopiler, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

O segredo está na adaptação do treinamento. Enquanto uma pessoa em ótima forma costuma pegar mais pesado nos exercícios, outra menos preparada terá de maneirar nas anilhas ? embora ambas possam executar os mesmos movimentos. Ou seja, conversar com profissionais de educação física capacitados é primordial para ajustar a atividade às suas características. "Além disso, recomendamos um checkup completo antes de iniciar o treino", prescreve o médico do esporte Ricardo Nahas, do Hospital 9 de Julho, em São Paulo. Com esses cuidados, a nova febre das academias tem tudo para continuar por anos no topo do ranking. 

A seguir, saiba mais sobre o Crossfit, treino intervalado de alta intensidade baseado nos exercícios militares americanos. Veja também quais são as outras modalidades mais citadas pelos experts do Colégio Americano de Medicina do Esporte, que devem virar tendência no próximo ano.


Crossfit - aquecimento - A aula começa com exercícios menos vigorosos ? mas que, atenção, não são leves ?, como três séries de flexões de braço ou 30 agachamentos utilizando o próprio peso. "A meta é elevar a temperatura do corpo, preparando músculos e articulações para as etapas que virão", descreve o educador físico André Turatti, da Companhia Athletica, na capital paulista.


Crossfit - Técnica - Na segunda parte da sessão, o professor introduz uma série de movimentos que, nos dias seguintes, poderá ser incluída no WOD (veja a seguir). O foco, nesse momento, está na precisão dos gestos. "Se a técnica não é ensinada corretamente, há um grande risco de lesões", alerta o educador físico Murilo Drago, do Esporte Clube Pinheiros.


Crossfit - Workout of the day - WOD é sigla para workout of the day, ou exercício do dia. É a parte central do Crossfit. Os participantes precisam realizar uma missão no menor tempo e na maior intensidade possível. O WOD é modificado a cada aula. "A falta de rotina é algo desafiador, que foge do comum, e agrada a muita gente", elogia Caio Revite, educador físico da Reebok Sports Club, em São Paulo.


Body Weight e treinamento funcional - Diferentemente do Crossfit, eles quase não lançam mão de equipamentos ? muitas vezes, só uma cadeira já é suficiente. "Esses programas de exercício utilizam o peso do próprio corpo, sem muitos acessórios ou máquinas", conta o educador físico Mauro Guiselini, das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), em São Paulo. Agachamentos, saltos, alongamentos e corridas são alguns dos desafios propostos por essas atividades.


Musculação - Os bons e velhos exercícios de força continuam em destaque. Eles têm como base o treinamento em aparelhos de ginástica e trabalham grupos musculares isoladamente. Isso proporciona um ganho de músculos e facilita o emagrecimento. "Quanto mais massa magra, maior a queima de gordura", esclarece Anderson Cunha, educador físico da rede Smart Fit, no Rio de Janeiro.


Ioga - O documento americano enaltece a prática oriental por sua capacidade de reinvenção. Unindo amplitude e meditação, instrutores sempre apresentam posições e movimentos inéditos aos praticantes de ioga. "E ela é indicada para todas as idades, porque alivia o estresse, ajusta a postura e atenua as dores lombares", ressalta o professor de ioga Marcos Rojo, da Universidade de São Paulo.


Core training - Nosso corpo reúne 29 pares de músculos na região do abdômen, das costas, dos glúteos e da pelve. Tudo isso forma o chamado core. "Quando bem trabalhado, ele dá sustentação à coluna e centraliza as forças do aparelho locomotor", ensina Guiselini. Acontece que, durante muito tempo, o core foi negligenciado pelos treinos tradicionais. Nos últimos anos, porém, as academias criaram aulas focadas no fortalecimento da área. Os exercícios se valem de bases instáveis, como a bola de ginástica e a cama elástica.


Treino dirigido para um esporte - A ideia é apostar em práticas específicas que melhoram o desempenho em uma modalidade. Um tenista, por exemplo, necessita de braços firmes para dar raquetadas certeiras. Então, ele adota um trabalho de fortalecimento que prioriza os membros superiores. "Mas a estratégia é mais indicada para atletas", opina o fisiologista Claudio Pavanelli, do Clube de Regatas do Flamengo.


Atividades ao ar livre - "Existem evidências de que o exercício outdoor gera mais prazer", comenta Tony Meireles, da UFPE. Quando os esportes são realizados em parques, calçadões, pistas ou até na água ? no caso de canoagem e passeios de caiaque ?, eles se transformam em algo pra lá de lúdico. Sem contar que, ao fugir das quatro paredes, fica fácil juntar amigos e familiares na hora de suar a camisa.


Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/saude/fotos/vida-saudavel/crossfit-treinos-beneficiam-sua-saude-devem-virar-tendencia-2014-766256.shtml#1