O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Estudo liga TVs, carros e computadores à obesidade em países pobres


Pessoas que têm acesso a estes luxos modernos podem começar a ganhar peso e aumentar o risco de desenvolver doenças como a diabetes, afirmam cientistas

As pessoas que vivem em países em desenvolvimento e possuem automóveis, televisores e computadores em casa costumam ser mais propensas a sofrer de obesidade do que as que não dispõem dessas comodidades em casa, alertaram cientistas nesta segunda-feira (10).

Comer mais, ficar muito tempo sentado e trocar as caminhadas pelos deslocamentos de carro são as razões mais prováveis para que as pessoas que têm acesso a estes luxos modernos possam começar a ganhar peso e aumentar o risco de desenvolver doenças como a diabetes, afirmaram os cientistas.

As descobertas, publicadas no periódico Canadian Medical Journal, sugerem que é necessário tomar um cuidado extra para evitar problemas de saúde em países que estão aderindo ao estilo de vida ocidental.

"Com a aquisição crescente de comodidades da vida moderna - TVs, carros, computadores - países com populações de rendas baixa e média podem ter as mesmas taxas de obesidade e de diabetes que os países de renda alta, resultantes do sedentarismo, de atividade física menor e um consumo crescente de calorias", advertiu o principal autor do estudo, Scott Lear, da Universidade Simon Fraser. "Isso pode ter consequências potencialmente devastadoras para a saúde social desses países", acrescentou.

A mesma relação não existia nos países desenvolvidos, sugerindo que os efeitos nocivos dessas máquinas na saúde já se refletem em taxas elevadas de obesidade e diabetes.

O estudo foi realizado com cerca de 154.000 adultos de 17 países de todas as faixas de renda, dos Estados Unidos, Canadá e Suécia a China, Irã, Índia, Bangladesh e Paquistão. Os televisores foram os dispositivos eletrônicos mais comuns nos países em desenvolvimento - 78% dos lares tinham um -, seguidos dos computadores (34%) e do carro (32%).

Apenas 4% das pessoas de países em desenvolvimento tinham as três máquinas em casa, contra 83% das pessoas de países de renda elevada. Aqueles que tinham aparelhos eletrônicos eram mais gordos e menos ativos do que aqueles que não dispunham destes dispositivos.

As pessoas que tinham os três eram ao menos um terço menos ativas, permaneciam sentadas 20% mais tempo e tinham uma circunferência abdominal 9 centímetros maior do que aqueles que não tinham nenhum destes equipamentos.

A prevalência da obesidade em países em desenvolvimento aumentou de 3,4% entre aqueles sem aparelhos para 14,5% entre os que possuíam os três equipamentos. No Canadá, 25% da população é de obesos, enquanto nos Estados Unidos essa proporção é de 35%.

"Nossas descobertas enfatizam a importância de se limitar a quantidade de tempo gasto usando equipamentos domésticos, em reduzir o comportamento sedentário e encorajar a atividade física para prevenir a obesidade e a diabetes", destacou o estudo.


Fonte:http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/mundo/internacional/noticia/2014/02/10/estudo-liga-tvs-carros-e-computadores-a-obesidade-em-paises-pobres-117269.php