O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

6 dicas para combater distúrbios do sono em crianças


O sono é importante na vida das crianças por diversas razões: quando elas não dormem no mínimo nove horas por dia, podem ficar cansadas, mal-humoradas, irritadiças e agressivas; também podem perder a capacidade de concentração, de foco e de resolver problemas.Além disso, o hormônio do crescimento é secretado durante o sono.

Sendo assim, aproveite algumas dicas para driblar os principais problemas que atingem as crianças durante a noite:


1 – Apneia e ronco

Crianças que sofrem de apneia param de respirar diversas vezes durante a noite e, cada vez que isso acontece, elas têm dificuldade para voltar a dormir. “Essas crianças geralmente apresentam problemas comportamentais e de aprendizado, além de ter chances maiores de sofrer com pressão alta”, diz a médica americana Judith Owens. Um estudo recente mostrou que um quarto das crianças do ensino fundamental sofria de apneia leve; 1% delas apresentava casos mais severos. Às vezes, a causa é infecção das vias respiratórias, em outros casos, amídalas ou adenóide inchadas.

Diagnóstico: Crianças com apneia geralmente têm a respiração pesada ou roncam. O peito da criança pode mexer com vigor durante o sono, ou sua cabeça pode mover para trás na tentativa de respirar.

Dica: A única maneira de saber com certeza é sob supervisão médica. O problema pode ser solucionado por meio de cirurgia de remoção de amídalas ou dieta. Remédios também podem amenizar a condição.

2 – Ansiedade

Problemas na escola ou em casa, medos comuns entre crianças, ou falta de costume de dormir sozinha podem causar ansiedade na criança. O resultado? Falta de sono.

Diagnóstico: Se a criança está exausta e mesmo assim se recusa a ir dormir, ou tem dores repentinas na hora de ir para cama, a causa pode ser ansiedade. Ela pode pedir água, abraços ou inventar qualquer outra desculpa para não ter que fechar os olhos e ir dormir.

Dica: Não julgue ou brigue com a criança, diz a diretora do Instituto do Sono de Nova Jersey, EUA, Susan Zafarlotfi. Sugira que ela escreva sobre suas preocupações em um diário. “Escrever ajuda a se livrar dos problemas e não levá-los para a cama”, diz ela. Faça com que ela lide com seus medos na manhã seguinte, mas, se o problema persistir, consulte um pediatra. Crianças com mais de cinco anos gostam de agradar e respondem melhor quando recebem recompensas, ainda mais quando elas escolhem qual será a compensação.

3 – Pouco exercício, muito computador

Crianças ativas dormem melhor. Pesquisadores da Nova Zelândia relacionaram cada hora de inatividade durante o dia a três minutos de dificuldade para dormir de noite. “Exercícios físicos produzem substâncias químicas que ajudam a relaxar e a dar sono”, disse o pesquisador em pediatria da Universidade de Miami Shahriar Shahzeidi. Passar horas no computador antes de dormir também atrapalha em parte porque o brilho do monitor pode atrapalhar o ciclo de período de sono.

Diagnóstico: A criança passa metade do dia sentada na escola e a outra metade no computador ou na TV.

Dica: Estimule a criança a realizar atividades físicas. Se ela não está envolvida em nenhum esporte, sugira algum, ou limite o tempo que ela pode ficar na frente da TV ou do computador. Contudo, evite que ela se exercite logo antes do horário de dormir.

4 – Acordar no meio da noite

Qualquer problema físico, como dor de estômago ou dores musculares, pode fazer com que a criança acorde no meio da noite. Entretanto, as causas mais comuns são alergias, asma e refluxo. Segundo o médico Julian Allen, aquelas que sofrem com asma ou alergias podem passar o dia bem e sofrer à noite, porque, neste período, o processo inflamatório piora e as vias respiratórias ficam mais estreitas.

Diagnóstico: Apesar de dormir cedo, a criança fica irritada na escola, ou pega no sono na hora do jantar. Outra característica são tosses ou espirros à noite, olhos inchados e nariz escorrendo de manhã.

Dica: Procure alergistas para receitar remédios que controlem as alergias e os processos inflamatórios.

5 – Sonambulismo

A médica Karen Ballaban, de Nova Iorque, EUA, alerta que entre 20% e 40% das crianças em idade escolar sofrem de sonambulismo. O culpado? Um estágio de sono incompleto que faz com que o cérebro continue “dormindo” enquanto o corpo pode se mover por aí.

Diagnóstico: Geralmente, o sonambulismo ocorre nas primeiras horas de sono.

Dica: O problema, provavelmente, irá passar com o tempo. Enquanto isso, tire obstáculos do caminho da criança. Se você encontrar a criança no meio do caminho, gentilmente a leve de volta para a cama (você pode até tentar acordá-la, mas é difícil). Se acontecer com muita frequência, procure um pediatra.

6 – Tremedeira nos membros

Existe um distúrbio que faz com que as pernas e os braços da criança se movam involuntariamente durante o sono e pode atrapalhar o descanso delas. Geralmente é causado por deficiência de ferro, ácido fólico, ou dopamina.

Diagnóstico: A criança treme os membros superiores e inferiores durante a noite ou mesmo quando está acordada e parada.

Dica: Peça ao pediatra exames para avaliar o nível de ferro e de ácido fólico. Massagem também pode ajudar.

Dica extra: Uma boa noite de sono começa horas antes da criança ir para cama. Evite oferecer chocolate ou refrigerantes que contenham cafeína, mantenha horários bem controlados, controle o uso do celular, tome cuidado com filmes de terror e outras coisas que assustem crianças. Ajude a transformar a hora de dormir em algo prazeroso com histórias, um abraço e um ambiente confortável.

Fonte:http://hypescience.com/6-dicas-para-combater-disturbios-do-sono-em-criancas/