O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Dona Lindu recebe atividades pelo Dia Mundial de Combate à Meningite


O garoto Pedro Arthur, símbolo do combate à meningite, estará presente no evento

A campanha Brasil Sem Meningite, promovida pelo Instituto Pedro Arthur, de Minas Gerais, chega ao Recife com uma série de atividades que marcam o Dia Mundial de Combate à doença, lembrada nesta quinta-feira, 24 de abril. A ação, que conta com debates, palestras, shows e vacinação, será realizada no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana. O evento tem início às 9h com uma solenidade de abertura, seguida de apresentação da cantora Karla Karolla, no Teatro Luiz Mendonça.

Caracterizada como uma inflamação das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro, a meningite é causada, principalmente, por bactérias ou vírus. Desta forma, são diversos os tipos de meningites e nem todas são contagiosas. Apesar de qualquer idade poder contrair a enfermidade, as crianças menores de 5 anos são as mais atingidas. Entre os tipos da doença, a meningocócica - causada por uma bactéria (o meningococo) - é considerada a mais grave.

Para o infectologista Luciano Arraes, referência no tratamento da meningite em Pernambuco, a realização do evento é de grande importância para que as pessoas sejam melhor esclarecidas sobre esse mal que afeta milhões de pessoas por ano no mundo. De acordo com dados da Secretaria de Saúde pernambucana, em 2014, foram notificados 17 casos de doença meningocócica, dos quais 12 foram confirmados. Além disso, três mortes por meningite foram confirmadas.

» Sinais e sintomas:

- febre alta;

- dor de cabeça forte;

- vômitos (nem sempre, inicialmente);

- rigidez no pescoço (dificuldade em movimentar a cabeça);

- manchas vinhosas na pele;

- estado de desânimo, moleza.

» Nos bebês pode-se também observar:

- moleira tensa ou elevada;

- gemido quando tocado;

- inquietação com choro agudo;

- rigidez corporal com movimentos involuntários, ou corpo “mole”, largado.

Símbolo Nacional do combate ao mal, o menino Pedro Arthur, de 10 anos, que ainda no primeiro ano de vida foi acometido pela doença, sobreviveu ao tipo mais agressivo da meningite. No entanto, precisou aprender a conviver com uma série de sequelas, como paralisia dos membros e do diafragma. Mesmo com as limitações, nesta quinta-feira (24), Pedro realizará um sonho: andar de bicicleta. O feito será realizado com uma bike adaptada durante o evento no Dona Lindu.

» Complicações possíveis

- Dano cerebral

- Perda da audição

- Hidrocefalia

- Miocardite

- Convulsões

- Efusão subdural (acúmulo de fluido entre o crânio e o cérebro)

Pai do menino, o paramédico Rodrigo Diniz, conta que a ideia de iniciar uma luta contra o desconhecimento da doença começou a florescer durante os sete meses que o filho lutou pela vida. "Criamos o instituto para ajudar no esclarecimento sobre tudo relacionado à meningite. Oferecemos informações sobre vacinação, direitos dos pacientes, gastos e muitas outras coisas", explica Rodrigo que se preocupa com os números da meningite no Brasil. "Duas crianças morrem a cada hora no País por causa dessa doença", exclama.

O INSTITUTO - Criado em 2006 em Minas Gerais, O Instituto Pedro Arthur é a única organização brasileira que trabalha no combate à meningite. O projeto foi criado em homenagem ao menino que sobreviveu à doença e que aprende a conviver, diariamente, com as sequelas.

VACINAÇÃO - Existe vacina contra alguns tipos de meningite meningocócica, como os tipos A, C, W135 e Y - que estão previstas no calendário vacinal do Ministério da Saúde. Porém a imunização não é eficaz em crianças menores de 18 meses (1 ano e 6 meses). Outras formas de prevenção incluem evitar aglomerações, manter os ambientes ventilados e a higiene ambiental.


Fonte:http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2014/04/23/dona-lindu-recebe-atividades-pelo-dia-mundial-de-combate-a-meningite-484013.php