O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Prestar atenção aos rótulos dos alimentos faz bem ao coração


Saiba quais elementos devem ser observados nos rótulo do que você compra. Assim, você garante que está levando saúde para casa.

As gôndolas dos supermercados são como vitrines. Cheias de cores, cheiros e formas, elas tornam a escolha dos produtos quase um desafio. Dessa maneira, aquilo que realmente importa pode passar despercebido, caso da rotulagem dos alimentos. É que a letra miúda faz toda a diferença para a saúde. Entre as 5 318 mulheres da pesquisa Sinta Seu Coração, apenas 44% costumam ler com atenção os rótulos. O estudo, realizado pelas revistas SAÚDE e CLAUDIA em parceria com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, Socesp, e apoio da Nestlé, também mostrou que muitas brasileiras não observam a quantidade de sódio. Tamanha distração favorece um cardápio bastante salgado e, consequentemente, o aumento da pressão arterial.

Se você também anda desprezando o conteúdo estampado nos alimentos, espante a preguiça e faça uma vistoria cuidadosa, vale a pena! Para começar, observe a lista de ingredientes. Note que ela é organizada pela quantidade em ordem decrescente. Assim, ao comprar um suco, por exemplo, se a polpa da fruta aparece em primeiro lugar, a bebida tende a ser mais nutritiva. “Por outro lado, quando a água e o açúcar ocupam as primeiras posições é um sinal de que as vitaminas e sais minerais estão bem mais diluídos”, ensina a nutricionista Márcia Godoy Gowdak, diretora do departamento de nutrição da Socesp.Outro detalhe importante é o teor dos nutrientes encontrados.

Devem constar nos rótulos, os seguintes itens:

· Proteína (em gramas): fundamental para a musculatura.

· Gordura total (em gramas): apesar de carregar má reputação, é importantíssima para nossas células, pois está por trás do aproveitamento de vitaminas.

· Gordura saturada (em gramas): em excesso, favorece o acúmulo de colesterol ruim nos vasos.

· Gordura trans (em gramas): essa é a verdadeira vilã. Faz subir os níveis de colesterol ruim e, assim, bota o peito em risco.

· Fibras (em gramas): auxiliam no trânsito intestinal e dão um chega-pra-lá na prisão de ventre.

· Sódio (em miligramas): acusado de fazer subir a pressão arterial, também promove a retenção de líquidos.

Também é fundamental checar o tamanho das porções a que se referem as quantidades mencionadas de nutrientes. Essa dica evita algumas armadilhas, como a de extrapolar no consumo de substâncias prejudiciais ao coração. “Quando o alimento traz os termos “livre”, “zero”, “sem” ou “isento de” trans, isso significa que ele contém menos de 0,2 grama dessa gordura por porção”, conta a nutricionista. Tomando o biscoito como exemplo, se a porção de 3 unidades apresenta 0,2 grama, quando o consumidor devora 10, vai acabar ingerindo quase 1 grama dessa gordura, de uma vez, o que é um exagero, já que o limite é de 2 gramas por dia.

Compare e leve o que for mais adequado ao seu perfil e, de preferência, o menos engordurado, açucarado ou salgado. Seu coração vai bater feliz.

Veja alguns dados da pesquisa

Você costuma ler os rótulos dos alimentos?


 

No que você preta logo atenção?