O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Hormônio do amor, ocitocina pode combater o envelhecimento


Estudo afirma que ocitocina poderia se tornar uma alternativa à terapia de reposição hormonal como uma forma de combater os sintomas do envelhecimento de homens e mulheres

o mais novo alvo para o tratamento da perda muscular. Pesquisadores da Universidade da Califórnia descobriram que a ocitocina é indispensável para a reparação e manutenção do músculo saudável, e que, pelo menos em ratos, ela declina com a idade.

Ocitocina pode se tornar uma forma de combater o envelhecimento

Os pesquisadores, que fizeram os testes apenas em ratos ainda, defendem que a ocitocina poderia se tornar uma alternativa viável para a terapia de reposição hormonal como uma forma de combater os sintomas do envelhecimento de homens e mulheres.

Pesquisas anteriores já haviam relacionado alguns s outros fatores bioquímicos no sangue ao envelhecimento, mas a ocitocina é a primeira molécula antienvelhecimento identificada a ser aprovada pelo FDA para uso clínico nos seres humanos. A forma sintética da ocitocina já é usada para o controle do sangramento após o parto. Ensaios clínicos de um spray nasal de ocitocina também estão em andamento para aliviar os sintomas associados com doenças mentais, como autismo, esquizofrenia e demência.

Pesquisadores afirmam que a ocitocina, secretada para o sangue pelas glândulas pituitárias, tem dois trunfos importantes: é um hormônio de amplo alcance que atinge todos os órgãos, e não está associada com tumores nem interfere no sistema imunológico.

"Infelizmente, a maioria das moléculas descobertas até agora para aumentar a regeneração do tecido também está associada com o câncer, limitando o seu potencial em tratamentos para seres humanos," disse Irina Conboy, professora de bioengenharia da Universidade da Califórnia, em Berkeley. "Nossa missão é encontrar uma molécula que não só rejuvenesça o músculo e outros tecidos, mas que também não aumente o risco de câncer".

Fonte:http://saude.ig.com.br/minhasaude/2014-06-13/hormonio-do-amor-ocitocina-ajuda-musculo-velho-a-trabalhar-feito-novo.html