O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Pela Dra. Lillian Cordeiro - Envelhecimento Saudável - Vacinação


Confira as orientações da coordenadora médica do FiqBem para um envelhecimento saudável


Dra. Lillian Cordeiro é formada pela UFPE em medicina 2002, com residência médica em clínica médica pelo HC-UFPE 2004 e em endocrinologia pelo Hospital Agamenom Magalhães 2006. Especialista em Endocrinologia pela SBEM 2007. Com experiência em direção médica do Hospital São Marcos 2010-2013. Atual coordenadora médica do programa FiqBem da Interne Solucões em Saúde.


Vacinação

A vacinação no idoso, assim como na população pediátrica, desempenha um papel importante na prevenção de doenças infecciosas e das suas complicações.

A Influenza (Gripe) é uma dessas doenças infecciosas, de origem viral, altamente contagiosa e que apresenta maior incidência durante o final do outono e no inverno. Embora se trate de uma doença aparentemente banal  pode apresentar elevada morbimortalidade em grupos de maior vulnerabilidade, como os idosos, sobretudo os portadores de doenças crônicas. Essa população é mais propensa a complicações relacionadas à gripe, como pneumonias virais, bacterianas e exacerbações de doenças pulmonares crônicas. A situação vacinal das pessoas idosas deve ser sempre questionada pela equipe de saúde. Recomenda-se uma dose anual da vacina contra a gripe.

Para a população acima de 60 anos também é indicado ao menos uma dose de vacina anti-pneumocóccia durante a vida, como forma de prevenir infecções to tato respiratório relacionadas ao pneumococos.

A vacina dupla do adulto (DT-contra difteria e tétano) deve ser administrada a cada 10 anos podendo ser reforçada em cinco anos no caso de ferimentos.