O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Uso intensivo do celular aumenta risco de câncer cerebral, diz estudo


Pessoas que usam telefone por mais de 30 minutos ao dia têm maior risco de que tumores se desenvolvam

O uso intensivo do telefone celular aumenta o risco de sofrer um tipo câncer cerebral agressivo, segundo o estudo publicado por pesquisadores da universidade de Bordeaux na revista especializada "Occupational & Environmental Medicine".

A equipe dirigida por Gaëlle Coureau demonstra que há dois tipos de tumores associados a uma prolongada exposição à radiofrequência desses aparelhos: os gliomas, agressivos, e os meningiomas, mais fáceis de operar.

As pessoas que utilizam o telefone portátil mais de 15 horas por semana, o que representa 30 minutos ao dia, têm maior risco de que esses tumores se desenvolvam.

Os pesquisadores analisaram o perfil de 450 doentes de câncer e usuários de telefone celular acima de 15 anos entre junho de 2004 e maio de 2006 em quatro regiões da França e o compararam com 900 usuários em perfeito estado de saúde.

Outros estudos

O estudo "Cerenat" confirma as conclusões do Centro Internacional de Pesquisas sobre o Câncer (CIIC), que no ano passado estabeleceu que "existe uma possível conexão entre o uso do telefone portátil e a aparição de gliomas".

O estudo também encontrou inconsistências em estudos anteriores, que ligavam o uso pesado de telefones móveis ao câncer. Em contraste com trabalhos anteriores, por exemplo, a pesquisa francesa determina que o câncer gerado ocorre no lado contrário ao uso comum do telefone – e não no mesmo lado, como era acreditado antes.

No entanto, os pesquisadores enfrentam dificuldades para ter filtrar os riscos reais de usar telefone dentre os demais fatores do estilo de vida moderno como fumar, por exemplo. “É difícil determinar um nível de risco, se houver, especialmente com a constante evolução da tecnologia de telefonia”, afirma o estudo.

Para dar um veredito final sobre o tema, o artigo ainda afirma que serão necessários estudos considerando “recentes evoluções tecnológicas e que observem os potenciais efeitos em longo prazo”.

Cuidados

Por via das dúvidas, organizações como o Instituto Nacional de Prevenção e Educação para a Saúde da França recomendam afastar o máximo possível o telefone da cabeça para reduzir riscos. Outras sugestões são usar o dispositivo com as mãos livres ou evitar chamadas longas, com o objetivo de impedir o excesso de exposição às ondas eletromagnéticas.

 

Fonte:http://epoca.globo.com/vida/vida-util/saude-e-bem-estar/noticia/2014/05/uso-intensivo-do-celular-baumenta-risco-de-cancer-cerebralb-diz-estudo.html