O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Dietas ricas em proteína animal são tão ruins quanto fumar, diz estudo


Pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia observaram que, no longo prazo, comer proteínas de origem animal em excesso eleva o risco de se desenvolver câncer e diabetes

Dietas com excesso de alimentos ricos em proteína animal, como carnes, ovos, leite e queijo, são tentadoras para quem busca emagrecer. No longo prazo, contudo, elas podem ser bastante prejudiciais à saúde e encurtar a vida - tanto como fumar. É o que sugere um estudo da Universidade do Sul da Califórnia, divulgado no jornal Cell Metabolism.

Os pesquisadores analisaram os dados sobre hábitos alimentares de 6.831 entrevistados num período de 18 anos. Entre as pessoas na faixa dos 50 anos de idade que consumiam mais de 20% das calorias diárias em proteína animal, observou-se um risco de morte por câncer ou diabetes quatro vezes maior do que em pessoas com dieta balanceada. Eles também apresentaram o dobro de chance de ter outro tipo de doença ao longo da vida. Já em pessoas mais velhas, com mais de 65 anos, os especialistas observaram que o alto consumo de proteínas de origem animal reduziu em quase 30% o risco de morte por qualquer tipo de doença e em 60% a morte por câncer.

Em entrevista ao The Guardian, Valter Longo, diretor do Instituto da Longevidade da Universidade do Sul da Califórnia, que coordenou a pesquisa, afirmou que o ideal é consumir, para cada quilo do seu peso, até 800 miligramas de proteína. O especialista recomenda que a ingestão de proteína corresponda a 10% do total de calorias diárias. Na opinião dele, uma dica para reduzir os efeitos ruins da proteína de origem animal em excesso é incluir no cardápio mais proteínas de origem vegetal, como legumes.

Para Peter Emery, chefe do departamento de Nutrição da King's College, de Londres, os resultados do estudo devem ser vistos com cautela, porque não levam em conta uma série de fatores nutricionais da dieta dos entrevistados e foram obtidos à distância, sem um acompanhamento. "Pelo método usado nesta pesquisa, pode-se criar associações com alguma ligação causal ou não. " O nutricionista Gunter Kuhnle, da Universidade Reading, também criticou o estudo. "É muito errado e também perigoso comparar os efeitos de se comer proteína com fumar. Cigarro faz mal. Proteína, em uma dieta balanceada, não."

 

Fonte:http://epoca.globo.com/vida/vida-util/saude-e-bem-estar/noticia/2014/03/dietas-com-bexcesso-de-proteinab-animal-sao-tao-perigosas-quanto-fumar-diz-estudo.html