O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Os pensamentos criadores da saúde e da depressão


A Organização Mundial de Saúde, OMS, prevê que, em 2020, a depressão seja a doença mais comum da humanidade.



Tristeza é uma emoção que traz significados importantes - ela é necessária, no caso do luto, por exemplo, precisamos elaborar a perda, revermos nossas atitudes. Antigamente no luto, as pessoas vestiam preto por dois anos em sinal de respeito a esse período de perda e dor.

 A depressão é uma doença que vai se instalando aos poucos e dando sinais de que algo não está bem em nossa vida. Não se trata apenas de passar o dia triste, mas sim, não ter energia para levantar da cama. Ela indica uma desarmonia interna e um ou mais níveis do nosso ser, seja no físico, emocional ou energético.

Ela altera a maneira como a pessoa vê o mundo, como entende as coisas, manifesta emoções e o prazer com a vida. Ela afeta tudo, como as pessoas se alimentam, dormem, como se sentem em relação a si próprio.


Quando a depressão se instala é porque a alma adoeceu.Um grande desânimo, um estado de espírito negativo, uma tristeza que invade a alma. São João da Cruz nos fala da “Noite escura da alma”, onde perdemos a vontade de viver e nada mais tem graça.
A depressão pode estar ligada aos traumas, perda de um ente querido, separações, falta de perspectiva profissional, sentimento de culpa, desilusão amorosa, problemas financeiros, mágoas por traições ou injustiças, e muito mais.

Tudo isso pode ser somatizado no corpo de várias formas. As mensagens que o corpo traduz são muitas: insônia (onde os pensamentos repetitivos impedem o cérebro de reduzir sua frequência, e a pessoa não consegue desligar, exaurindo suas forças); dores de cabeça (pelo excesso de ruminação dos problemas); dores de estômago (os pensamentos não são digeridos e o órgão não consegue processar o que não existe e, assim, as ideias fixas prejudicam a digestão); intestino preguiçoso (onde os ressentimentos, os pensamentos que ficam voltando ao passado e a incapacidade de perdoar e, deste modo, os intestinos imitam esse comportamento).


A relação entre o cérebro e os intestinos, embora há muito conhecida pela medicina chinesa, vem sendo bastante estudada atualmente. O Dr Helion Póvoa mostra que as paredes dos intestinos, estimuladas pela fricção das fibras alimentares, secretam a serotonina. “A alegria e a inteligência emocional, de que tanto precisamos para viver bem, começam realmente a partir do intestino.”, diz ele.


Há doenças espirituais e que precisam ser reconhecidas e devidamente tratadas. A Dra Caroline Myss, em seu livro Anatomia do Espírito discorre sobre que o campo energético reflete a energia de cada individuo. Ele nos cerca e leva conosco a energia emocional criada por nossas experiências internas e externas. Tanto as positivas quanto as negativas. Essa força emocional influencia o tecido físico dos nossos corpos e contribuem para a formação do nosso tecido celular. Experiências positivas e negativas são registradas como uma memória no tecido celular, assim como no campo energético.

Dra Candance Pert no livro “A cura da mente”, fala sobre os neuropeptídeos, substâncias químicas despertadas pelas emoções, são pensamentos convertidos em matéria. Ela afirma que a mente está em cada célula do seu corpo e a depressão é considerada uma desordem emocional e mental - em termos energéticos, a depressão é uma liberação de energia sem consciência.


Para criar as doenças, as emoções negativas precisam ser dominantes. E o que acelera o processo é saber que o pensamento negativo é tóxico, no entanto damos a ele a permissão para crescer em nossa consciência. Assim, somos responsáveis pela criação de nossa saúde e temos íntima responsabilidade também pela criação da doença.

Fonte: https://www.minhasaudeonline.com.br/br/artigo/58/101623/os-pensamentos-criadores-da-saude-e-da-depressao