O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Pela Dra. Lillian Cordeiro - Envelhecimento Saudável – Doenças da Tireoide


Confira as orientações da coordenadora médica do FiqBem para um envelhecimento saudável



Dra. Lillian Cordeiro é formada pela UFPE em medicina 2002, com residência médica em clínica médica pelo HC-UFPE 2004 e em endocrinologia pelo Hospital Agamenon Magalhães 2006. Especialista em Endocrinologia pela SBEM 2007. Com experiência em direção médica do Hospital São Marcos 2010-2013. Atual coordenadora médica do programa FiqBem da Interne Soluções em Saúde.


Doenças da Tireoide


A tireoide é uma glândula localizada na região do pescoço que é responsável pela produção de hormônios que vão atuar em todo o organismo. Em virtude de causas genéticas e ambientais, ela pode apresentar alguma disfunção, produzindo hormônios em excesso, o que caracteriza o “Hipertireoidismo”, ou hormônios em menor quantidade o que leva ao “Hipotireoidismo”. Geralmente, ela acomete mais mulheres e existe um caráter genético na sua causa. 

Os sintomas do hipertireoidismo são: pele quente e úmida; perda de peso com apetite aumentado ou normal; tremores em mãos; olhos arregalados; coração acelerado e aumento do volume do pescoço. Já no hipotireoidismo são: fraqueza; pele ressecada; inchaço; intolerância ao frio e sonolência. 

Tanto para o hipertireoidismo, como para o hipotireoidismo o diagnóstico é clínico e laboratorial, através da dosagem no sangue dos hormônios da tireoide. No caso de exames alterados confirma-se o diagnóstico e inicia-se o tratamento medicamentoso. 

O tratamento do hipertireoidismo apresenta três modalidades: 

  • Medicamentoso: geralmente o tratamento inicial;
  • Radioiodo: modalidade disponível para tratar casos que não responderam aos remédios ou como primeira escolha, a depender da preferência do médico e do paciente;
  • Cirurgia: o tratamento cirúrgico reserva-se aos casos de tireoides bem aumentadas, chamadas de “bócios volumosos”.

No caso do hipotireoidismo o tratamento é feito através de remédios, que na verdade são a reposição do hormônio tireoidiano que estava faltando. O médico inicia com doses pequenas e vai aumentando aos poucos até chegar na dosagem ideal. Na grande maioria das vezes o tratamento precisa ser mantido a longo prazo, visto que a tireoide lenta tende a não se recuperar. 

É importante lembrar que problemas da tireoide são comuns e na presença de algum dos sintomas citados o médico deverá ser consultado para investigação. Na maioria das vezes o tratamento é bem sucedido com o uso de medicações orais. Pacientes com disfunção de tireoide precisam regularmente checar a dosagem dos seus hormônios para ajustar a dosagem dos remédios. São doenças benignas, não transmissíveis e que se bem tratadas não interferem nas atividades diárias.