O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Pela Dra. Lillian Cordeiro - Envelhecimento Saudável – Obesidade


Confira as orientações da coordenadora médica do FiqBem para um envelhecimento saudável


Dra. Lillian Cordeiro é formada pela UFPE em medicina 2002, com residência médica em clínica médica pelo HC-UFPE 2004 e em endocrinologia pelo Hospital Agamenon Magalhães 2006. Especialista em Endocrinologia pela SBEM 2007. Com experiência em direção médica do Hospital São Marcos 2010-2013. Atual coordenadora médica do programa FiqBem da Interne Soluções em Saúde.


Obesidade

 

Trata-se de uma doença metabólica crônica, que se caracteriza pelo acúmulo excessivo de gordura corporal. Nos dias atuais, ela é considerada um problema de saúde pública, acometendo cerca de 18 milhões de pessoas somente no Brasil. A obesidade consiste em um fator de risco para várias doenças, como: hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares. 

São muitas as causas dessa doença. O fator genético, por exemplo, desempenha um papel importante juntamente com os maus hábitos alimentares e o sedentarismo. Raramente ela é causada por problemas do metabolismo e dos hormônios. O estilo de vida moderno, com refeições rápidas e pouco tempo para se exercitar, contribui muito para um ganho de peso progressivo. 

Os pacientes acima do peso podem mencionar dor nas costas, nas articulações, fôlego curto, problemas com o sono, problemas gástricos, entre outros. Quanto maior o grau da obesidade, mais intensos são os sintomas. 

Em adultos o diagnóstico é feito pelo cálculo do índice de massa corporal (IMC), que consiste no peso dividido pela altura elevada ao quadrado. O peso normal corresponde a IMC entre 18,5 e 24,9 e a obesidade é quando o IMC está acima de 30. 

A obesidade pode ser prevenida através de adoção de estilo de vida saudável, que consiste: em uma alimentação balanceada, rica em vegetais e frutas, pobre em gordura e açúcar; exercícios físicos regulares, pelo menos três vezes na semana. 

O tratamento pode ser com medicamentos ou só através de medidas comportamentais. O uso de algumas medicações está indicado em casos que não respondem às modificações do estilo de vida, devendo sempre ser prescritas por médico endocrinologista. Várias medicações possuem efeitos colaterais indesejáveis, dessa forma só o médico saberá a melhor opção para cada paciente.

As medidas comportamentais, como mudança de hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos podem gerar resultados bem satisfatórios, desde que mantidas em longo prazo. Por se tratar de uma doença crônica requer acompanhamento médico periódico. 

A obesidade é uma doença potencialmente evitável, cuja prevenção depende de medidas simples. Por ser a causa de outras doenças, ela precisa ser combatida precocemente. O entendimento do paciente de que tem uma enfermidade crônica e que precisa de acompanhamento médico regular é fundamental no sucesso do tratamento dessa condição.