O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Melatonina no Parkinson


Os distúrbios do sono constituem uma das queixas clinicas principais não motoras( que estão ligadas aos tremores musculares dos membros e do corpo) da doença de Parkinson que têm um efeito substancial na qualidade de vida  dos pacientes O sono pode estar relacionada com a progressão dessa doença neurodegenerativa.

Eles também podem servir como marcadores pré-clínicos para o diagnostco da Doença de Parkinson, como é o caso de movimento rápido dos olhos (REM) associada à distúrbio comportamental do sono . Embora a causa dos distúrbios do sono na doença de Parkinson permanece indefinida, a avaliação dos componentes do sistema circadiano, incluindo secreção de melatonina, poderia dar terapeuticamente informações valiosas sobre sua causa e evolução da doença.

A eficácia da melatonina para prevenir a morte celular neuronal e para amenizar os sintomas doença de Parkinson tem sido demonstrado em modelos animais. Um pequeno número de ensaios clínicos controlados indicam que a melatonina é útil no tratamento de distúrbios de sono na doença de Parkinson e em distubios do sono em particular de outras molestias. Se a melatonina e os agentes terapeuticos desenvolvidos recentemente chamados de melatonergicos (ramelteon, tasimelteon, agomelatina) têm potencial terapêutico na doença de Parkinson também não esta demonstrado.A melatonina é um regulador do ciclo sono / vigília e também atua como um antioxidante eficaz e protetor da função mitocondrial das celulas nervosas do cerebro. A redução da quantidade receptores de melatonina (MT) dos dois tipos MT (1) e MT (2) tem sido documentada na substância nigra( nome da região do cerebro aonde ficam esses receptores) em pacientes com Doença de Parkinson. Melatonina no Parkinson