O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

DICA CULTURAL DA INTERNE: Lazer também é saúde!

Nesta quinta-feira acontece no Museu do Estado lançamento de seis livros.


Romance, poesias, crônicas e ensaios são os gêneros contemplados no evento, que será publicado pela Companhia Editora de Pernambuco (CEPE).


Após lançar os quatro livros vencedores do 3º Prêmio Pernambuco de Literatura, a Companhia Editora de Pernambuco (CEPE) coloca mais seis obras nas prateleiras nesta quinta (19). A partir das 19h, no Museu do Estado de Pernambuco, a editora lança os livros Álvaro Lins – Sete escritores do Nordeste, O fauno nos trópicos, Memórias escrachadas (mas nem tanto), Incendiário, Opusfabula e Miragem, que contemplam diversos gêneros – Romance, poesias, crônicas e ensaios.


Sobre os livros:


Incendiário

Romance de estreia do paulista radicado no Recife Renato da Silva Moreira, Incendiário é um livro autobiográfico que narra a experiência do autor na Legião Estrangeira da França, onde enfrenta seus demônios existenciais em busca de si mesmo.

 

Memórias escrachadas (mas nem tanto)

Escrito pelo jornalista pernambucano, radicado em São Paulo, Flávio Tiné, Memórias escrachadas (mas nem tanto) reúne crônicas sobre o cotidiano da grande metrópole, numa linguagem leve e perpassada de bom humor.


Álvaro Lins – Sete escritores do Nordeste

João Cabral, Nélson Rodrigues, Graciliano Ramos e Jorge Amado. Estes são alguns dos autores focalizados em Álvaro Lins – Sete escritores do Nordeste, com artigos e ensaios do crítico literário caruaruense. O livro foi organizado por Eduardo César Maia.


O fauno nos trópicos

Produzido com a finalidade de resgatar um capítulo esquecido da literatura pernambucana, o da poesia simbolista, O fauno nos trópicos, de Fábio Andrade, traça o panorama do movimento no Estado, com base em pesquisa feita em várias fontes.


Opusfabula

De Jonatas Onofre, Opusfabula é um poema inspirado na História de Pernambuco, mais precisamente, na chegada dos portugueses a Igarassu, em 1530. Os versos entrecruzam a maneira como indígenas e europeus veem o mundo.


Miragem

“O Sertão são vários e ao mesmo tempo um só”, diz a poetisa Socorro Nunes na apresentação do livro Miragem, que, segundo ela, foi concebido depois de uma releitura de Os sertões, de Euclides da Cunha.


Quem gosta de literatura, este é um excelente programa.

Lembre-se que lazer também é saúde!