O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Série “Distúrbios do sono: difícil adormecer ou permanecer dormindo”

Durante esta semana, a Interne vai exibir esta nova série falando das dificuldades encontradas na hora de dormir – desde as causas até os possíveis tratamentos para estes problemas.

 

No último sábado – 21 de março – se comemorou o Dia Mundial do Sono. Sabendo disso, a gente te pergunta como anda seu sono? 

A Interne Soluções em Saúde – durante toda esta semana – vai falar através da sua nova série – “Distúrbios do sono: difícil adormecer ou permanecer dormindo” – sobre vilões mais comuns durante uma boa noite de descanso, suas causas e até mesmo os possíveis tratamentos para enfrentar estes problemas. 

Você sabia que existem mais de 100 distúrbios do sono e do despertar e que eles podem ser agrupados em quatro categorias principais:


- Dificuldade de adormecer ou permanecer dormindo;

- Problemas para permanecer acordado;

- Problemas para conseguir manter uma rotina regular de sono;

- Comportamentos incomuns durante o sono.


Distúrbios do sono consistem nas dificuldades relacionadas ao sono. O sono tem quatro fases, e cada uma delas é responsável por uma atividade diferente. Dificuldades em qualquer uma dessas fases pode trazer prejuízos a curto e longo prazo para sua vida. 

Embora insônia seja a queixa mais frequente dos portadores de distúrbios do sono, em um primeiro momento o ronco e a apneia costumam ser notados muito mais pelos parceiros que dividem o mesmo quarto do que pelo paciente, propriamente dito. No entanto, grandes roncadores e apneicos podem desenvolver alguns problemas de saúde que requerem atenção e tratamento especializado. 

Atualmente, nosso corpo está arcando com as consequências de uma civilização, dita moderna, que valorizou comportamentos prejudiciais ao próprio homem. A eletricidade – embora tenha sido uma invenção fantástica – ela tornou possível prolongar a luz do dia e encurtar as nossas noites. Ficamos acordados até tarde absorvidos pelas mais diversas atividades. O resultado é que dormimos pouco e fora de hora. 

Se as horas de descanso estão insuficientes, o corpo dá sinais que vão além do bocejo e dos olhos cansados. Dormir pouco ou dormir mal pode trazer prejuízos à saúde e ao seu dia a dia – talvez irreparáveis. 

A falta de concentração e de coordenação motora, fome em demasia, e suscetibilidade às doenças são apenas alguns dos alertas de que é preciso dormir. É uma situação em que muita gente está passando e não percebe as consequências. Os sintomas desses distúrbios se confundem um pouco com o estresse cotidiano.

O sono é o momento de restabelecimento do organismo como um todo, o corpo repousa, os músculos descansam, as funções hormonais se regulam. O cérebro processa tudo o que precisamos guardar e no dia seguinte estamos aptos a absorver novas informações. Quando não há o descanso de forma eficaz, todas as atividades ficam comprometidas.



Fonte de pesquisa: www.sono.org.br


INTERNE