O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Distúrbios do sono afetam a rotina das pessoas e podem gerar transtornos fatais!

Segundo Conselho Nacional de Trânsito, até o ano passado o sono ao volante aparecia como a segunda principal causa de acidentes nas estradas.

 

Na segunda matéria da série “Distúrbios do sono: difícil adormecer ou permanecer dormindo” – da Interne Soluções em Saúde – vamos falar como esses problemas podem afetar o dia a dia das pessoas e, em algumas situações, serem causadores de episódios tragicamente irreparáveis. 

Se bem sabemos, os sintomas desses problemas costumam variar muito de um distúrbio para o outro, como: dificuldade para adormecer, no caso da insônia, ou comportamentos anormais durante o sono, como levantar da cama e caminhar, no caso de sonambulismo. Alguns deles podem ir além de uma noite, e serem mais recorrentes do que se pensa. 

Sono não é apenas gostoso e revigorante, como também faz bem para a saúde de um todo – desde a parte física, até a mental. Por outro lado, dormir menos do que o recomendado ou acordar diversas vezes durante a noite pode causar vários malefícios ao organismo. Através de uma boa noite de sono, ele pode prevenir a obesidade, controlar a hipertensão e o diabetes, diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, fortalecer a memória e melhorar o desempenho físico e motor, o desempenho no trabalho e até o humor.

As consequências desses distúrbios são sérias e afetam o nível de produtividade do indivíduo, atrapalha o raciocínio e interfere na qualidade de vida das pessoas. A boa qualidade do sono é tão importante para a manutenção da saúde como é a boa alimentação e o exercício físico regular – por exemplo. Além disso, a má qualidade do sono pode levar a acidentes sérios e fatais.

A sonolência ao volante já é a segunda maior causa de acidentes nas rodovias brasileiras, uma combinação que pode ser tão perigosa quanto beber e dirigir. Dados da Associação Brasileira do Sono (ABS) apontam que ele é o responsável por 30% das mortes e 20% dos acidentes em todo o país – podendo estes números serem ainda maiores. O Conselho Nacional de Trânsito corrobora estas estatísticas. 

Estudos indicam que a quantidade de horas dormidas e há quanto tempo você está acordado influenciam diretamente em sua habilidade para guiar. A questão da sonolência em motoristas pode-se dizer que é um problema de segurança pública, fugindo até da esfera da saúde, tanto no Brasil, quanto em outros países do mundo. 

Para evitar tais complicações é importante que a pessoa se sinta descansada e disposta antes de assumir o volante, ou executar qualquer outra tarefa. O corpo precisa estar revigorado. Além disso, é interessante seguir uma alimentação saudável que ajude você a dormir e acordar bem; realizar atividades físicas como uma caminhada, que ajudam a deixar o corpo mais disposto – por exemplo; no caso de dirigir, evitar fazer isso durante a madrugada, entre 0h e 8h da manhã e logo depois do almoço. Nesses horários, o corpo tende a, naturalmente, sentir mais sonolência; mantenha horários fixos para dormir e acordar; ao sinal de algum distúrbio do sono, o ideal é procurar imediatamente um especialista.


Fontes de pesquisas: http://www.fundasono.org.br

                                        www.sono.org.br


INTERNE