O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

INTERNE ALERTA: 50 mil pessoas morrem de insuficiência cardíaca por ano no Brasil

De acordo com o estudo, o dado é o dobro do registrado pelo Ministério da Saúde e isso pode revelar que existem falhas no diagnóstico da doença.

 

A insuficiência cardíaca, também chamada de insuficiência cardíaca congestiva, é uma doença na qual o coração não consegue mais bombear sangue suficiente para o resto do corpo, não conseguindo suprir as suas necessidades.

A doença pode ser dividida principalmente em dois tipo, como: insuficiência cardíaca sistólica, que ocorre quando o músculo cardíaco não consegue bombear ou ejetar o sangue para fora do coração adequadamente; e insuficiência cardíaca diastólica, quando os músculos do coração ficam rígidos e não se enchem de sangue facilmente. Ambos os problemas têm uma coisa em comum: o coração não consegue mais bombear sangue suficiente rico em oxigênio para o resto do corpo.

A insuficiência cardíaca é uma doença crônica de longo prazo, embora possa, às vezes, se desenvolver repentinamente. Ela pode afetar apenas um dos lados do coração, sendo chamada, dependendo do caso, de insuficiência cardíaca direita ou insuficiência cardíaca esquerda. Mesmo que ela se desenvolva em somente um lado do coração, ambos os lados acabam sendo afetados conforme o tempo vai passando.

De acordo com um recente estudo do cardiologista Dr. Denilson Albuquerque – professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e coordenador da pesquisa – a insuficiência cardíaca mata por ano cerca de 50 mil pessoas no Brasil.

Veja, logo abaixo, a matéria do Diario de Pernambuco que divulga informações sobre a pesquisa:

 

Insuficiência cardíaca mata 50 mil por ano no Brasil

Número diverge do registrado pelo Ministério da Saúde; especialistas acreditam que a diferença pode revelar falha no diagnóstico.

A insuficiência é a incapacidade de o coração bombear sangue na quantidade necessária para o corpo. ARTE: Fernando Lopes/DP/DA Press

A insuficiência cardíaca mata 50 mil brasileiros por ano, aponta o primeiro estudo nacional sobre a doença. O dado é o dobro do registrado pelo Ministério da Saúde e pode revelar falha no diagnóstico, diz o cardiologista Denilson Albuquerque, professor da Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e coordenador da pesquisa.

A insuficiência cardíaca é a incapacidade do coração de bombear sangue em quantidade necessária para o organismo. As consequências são o acúmulo de líquidos, até nos pulmões (edema pulmonar agudo), falta de ar e cansaço extremo, entre outros sintomas. Para entender a doença, pesquisadores de 51 centros médicos de todas as regiões do País acompanharam por um ano 1.263 pacientes - 12,6% morreram nos hospitais.

O DataSUS registrou, em 2012, 26.694 mortes, o que equivale a 6% das internações. "O que pode haver é desconhecimento do quadro. Em alguns hospitais, não há cardiologista no plantão. O profissional confunde o edema pulmonar com pneumonia, por exemplo", afirmou Albuquerque.

Sem diagnóstico correto, o paciente não recebe a orientação adequada. O Breath (Brazilian Registry of Acute Heart Failure), como o estudo foi batizado, informa que um terço dos pacientes é internado novamente em três meses; em seis meses, a proporção sobe para 46%.

As causas da insuficiência cardíaca variam de acordo com a região. No Sul, Sudeste e Nordeste, um terço dos casos ocorre em decorrência de enfarte. No Norte, 37% dos pacientes sofrem de hipertensão. No Centro-Oeste, a principal causa é a Doença de Chagas (42,4%).

A falta de adesão ao tratamento é a principal responsável pelas internações - 30% dos pacientes não tomaram os remédios. "Isso ocorre ou por falta de recursos ou porque ele não foi orientado ou não está acostumado a tomar múltiplos remédios. A insuficiência cardíaca não tem cura, mas tem controle", afirmou Albuquerque.

O cardiologista ressaltou que medidas simples podem evitar a internação e a morte. Uma delas é criar o hábito de se pesar todos os dias, sempre no mesmo horário. "Se a pessoa pesa 70 quilos e dois ou três dias depois está pesando 74, é porque está retendo líquidos".

 

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2015/05/08/internas_cienciaesaude,575637/insuficiencia-cardiaca-mata-50-mil-por-ano-no-brasil.shtml

 

 

Fontes de pesquisa: http://www.abcdasaude.com.br

 

INTERNE