O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Ações estimulam funcionários da Interne a readaptarem seus hábitos alimentares


Entre os colaboradores – se destaca uma dupla do setor de compras da empresa – Rosilene Passos (à esquerda) e Amanda Silva (à direita), que reorganizaram sua alimentação na busca por uma qualidade de vida melhor.


A expressão qualidade de vida deixou de ser uma preocupação apenas do funcionário, hoje em dia ela já faz parte do planejamento das grandes empresas, amplas não só em patrimônio, mas enormes também no sentido humano da questão.

A Interne Soluções em Saúde acredita tanto nisso, que está sempre preocupada em repassar para seus funcionários a importância de uma alimentação mais saudável e até mesmo estimular e ajudá-los a adquirirem novos hábitos.

Na última matéria da série “Nosso corpo: um lar de saúde que precisa de cuidados!”, você verá que a empresa está sempre criando programas, passeios e ações – de um modo geral – na tentativa de estimular seus colaboradores a adquirirem novos hábitos saudáveis. Além disso, vão conhecer dois belos exemplos de dedicação, que fazem parte da Interne, que estão na busca de uma vida com mais qualidade.

Já falamos por aqui sobre os passeios saudáveis – como pedaladas, trilhas, aulas de yoga na praia; sobre as palestras com especialistas das mais diversas áreas para falar sobre saúde; já falamos também sobre oficinas de culinária saudáveis – todas e todos oferecidos pelo programa “Tô Saudável” da Interne. Pois bem, então já deu para perceber que saúde não é apenas um produto que “vendemos” é realmente uma missão, uma ideia fixa que tentamos sempre repassar para as pessoas – sobretudo, para nossos colaboradores.

A Empresa já criou quadros, como o “Medida Certa da Interne”, onde os funcionários tinham que disputar entre si a meta estabelecida que era emagrecer com saúde, onde a ação oferecia acompanhamento nutricional, físico e psicológico para os participantes; e como o “Eu me amo & Cuido de mim”, que tinha como objetivo conscientizar os colaboradores sobre o auto cuidado com seu bem-estar. Tudo isso para – não apenas presentear com consciência de hábitos saudáveis, mas, sobretudo, e, todavia, estimulá-los a seguir – dentro e fora da Instituição – esses costumes.

Um bom exemplo de apropriação da ideia de estímulo a gente encontra nas funcionárias do Setor de Compras da Interne, Rosilene Passos e Amanda Silva. As duas, hoje, passam por um momento de total readaptação alimentar – onde a primeira já perdeu 21 quilos e a segunda oito quilos. Em conversa com a dupla, elas contaram os motivos de readaptarem suas alimentações:


Comunicação: A partir de qual momento vocês optaram por seguir uma alimentação mais saudável?


Rosilene – “A partir do momento que eu cheguei a pesar quase 100 quilos, percebi que estava tendo algumas dificuldades, como, por exemplo, de circulação, então resolvi em setembro do ano passado (2014) a melhorar minha qualidade de vida”.

Amanda – “Não estava me sentindo mais bem com meu corpo, aí através do estímulo de ver Rosi (sua amiga de setor) emagrecer – senti-me motivada a também a readaptar minha alimentação”.


Comunicação: Além da alimentação, vocês adquiriram mais algum outro hábito saudável?


Rosilene – “No momento não, por conta da faculdade – mas pretendo a partir de julho iniciar”.

Amanda – “Sigo o mesmo caso de Rosi, nós também estudamos juntas – mas planejo em entrar em alguma academia ou fazer uma funcional”.


Comunicação: Qual a meta traçada por vocês?

Rosilene – “Eu queria perder 30 quilos, já perdi 21. Então falta pouco para chegar a minha meta inicial”.

Amanda – “Pretendo chegar aos meus 75 quilos, no momento estou com 76 e alguns quebradinhos – mas já perdi oito. Quero chegar a esta faixa de peso porque ela é normal para minha altura”.


Comunicação: Como a Interne entra nesse processo de adaptação alimentar de vocês?

Rosilene – “Diretamente eu não participo do acompanhamento da nutricionista do Tô Saudável, mas através das ações que o programa realiza – eu acabei me estimulando a buscar uma vida mais saudável, desde os passeios até os eventos de palestras. Isso me ajudou a buscar uma reeducação alimentar”.

Amanda – “Eu me consultei com a nutricionista do Tô Saudável e através das outras ações do programa, fui me engajando na ideia de mudar meus hábitos alimentares”.


Comunicação: Qual a maior dificuldade dessa nova fase alimentar?


Rosilene – “Talvez, seja o fato de ver as outras pessoas comendo alimentos que hoje eu me nutro deles de forma moderada”.

Amanda – “Nos finais de semana é onde estão sempre as maiores dificuldades para se manter na dieta. No começo meu noivo, por gostar de sair para comer acabava estragando um pouco do meu planejamento, mas agora ele tem me ajudado”.


Foto da dupla antes de iniciar a fase de readaptação alimentar


Alimentação saudável e prática de atividade física regular são ótimos investimentos em uma melhor qualidade de vida e na prevenção de inúmeras doenças.

Sem dúvida o alimento é uma fonte de prazer. Todavia, é preciso encontrar prazer também em outras áreas da vida. Quando a comida se torna a única ou a mais importante fonte de prazer, ela acaba sendo utilizada para aliviar estresse, angústia, culpa ou ansiedade, e assim fica muito difícil controlar a ingestão de alimentos e o ganho de peso. Quando isso ocorre, a psicoterapia pode ser muito útil para ajudar a controlar essas emoções.

Há quem consiga atingir seus objetivos rapidamente devido a sua tamanha motivação pessoal, dedicação aos tratamentos e à "real" mudança de comportamento. No entanto, se você não for esse indivíduo, não se desespere, pois emagrecimento rápido não é sinônimo de sucesso. Não desista nunca de você e de sua saúde, seja bem vindo a esta nova etapa de sua vida, onde seu bem-estar está em primeiro lugar.

Ao longo de todo o mês de maio vocês puderam acompanhar esta série que falava um pouco da saúde do trabalhador. Com esta última matéria fica a lição que nós podemos buscar novos hábitos saudáveis para nossa vida!


INTERNE