O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

No Dia do Hospital, a Interne lembra os motivos pelos quais o serviço de Home Care cresce no país!


Aproveitando a data, é importante destacar que a Atenção Domiciliar é uma modalidade continuada da prestação de serviços na área da saúde que visa à continuidade do tratamento hospitalar no domicílio, realizado pela equipe multidisciplinar com a mesma qualidade, tecnologia e conhecimento.


Você sabia que hoje – 02 de julho – se comemora o Dia do Hospital? Pois é. Mas por acaso sabe o motivo da comemoração desta data?

Em função da inauguração da Santa Casa de Misericórdia de Santos, em São Paulo, ter ocorrido neste mesmo dia no ano de 1944. A data foi criada pelo então Presidente Getúlio Vargas para homenagear todos os profissionais envolvidos no dia a dia de um hospital.

O conceito de hospital tem as suas origens no vocábulo hospes (“hóspede” ou “visita”) do qual resulta hospitalitas (“hospitalidade”). Com o passar do tempo, a noção passou a dizer respeito à qualidade de acolher/hospedar alguém bem e com satisfação.

Mas ao longo dos anos – o conceito de ambiente hospitalar foi mudando, ao menos passou a ganhar outras conotações – sobretudo, outras definições práticas. E neste cenário de transformações, surge então o serviço de Home Care – também conhecido como Atenção Domiciliar.

Home Care ou Atenção Domiciliar é uma modalidade continuada de prestação de serviços na área da saúde que visa à continuidade do tratamento hospitalar no domicílio, realizado pela equipe multidisciplinar com a mesma qualidade, tecnologia e conhecimento.

A atenção domiciliar evita a permanência prolongada no hospital, a interrupção do cuidado ao paciente e o distanciamento dos profissionais envolvidos no tratamento.

Entre seus benefícios está a diminuição dos riscos de infecção em ambientes hospitalares, a humanização do atendimento no ambiente domiciliar, redução de complicações clínicas e reinternações desnecessárias e otimização do tempo de recuperação do paciente. Além, e, principalmente, a maior proximidade com a família e com seu reduto de aconchego afetivo.

Compreende ações pautadas em uma concepção de “saúde–doença” que buscam a promoção, prevenção, recuperação e reabilitação do paciente em seu lugar de referência: o lar. Ou seja, casos de pacientes idosos em sua maioria, ou até mesmo jovens que possuem doenças crônicas ou graves, tais como: Diabetes, Hipertensão, Feridas, Dores constantes.

Comparado ao atendimento hospitalar podemos diferenciar e destacar os seguintes aspectos:


- Permiti melhores condições para a reintegração no grupo familiar ou de apoio;

- Promove iniciativas de saúde, higiene e nutrição, visando maior autonomia do paciente e de seus familiares quanto às atividades da vida diária;

- Estimula experiências simples ligadas à educação em saúde;

- Intensifica os períodos livres de intercorrências hospitalares em pacientes crônicos;

- Prever precocemente complicações no domicílio;

- Humaniza o tratamento do paciente;


Seja no hospital ou em casa, cuidar do bem-estar das pessoas é um dom muito gratificante. Como diz uma frase de Dame Cicely Saunders, que a Interne Soluções em Saúde interioriza em sua missão de vida: 

“O sofrimento somente é intolerável quando ninguém cuida!"



Fontes de pesquisa: http://www.portaleducacao.com.br/

  http://www.institutopedroarthur.org.br/


INTERNE