O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Estudo publicado, nesta terça-feira (29), mostra a importância do sono no combate a várias doenças


Sabe-se que quem dorme bem esquece menos as coisas. Agora os cientistas descobriram que dormir também faz bem para outra memória: a do nosso sistema imunológico.

O sono é essencial para a vida e é também a base de muitas funções fisiológicas e psicológicas do organismo, tais como a reparação de tecidos, o crescimento, a consolidação da memória e a aprendizagem. Embora nem todos os adultos precisem do mesmo número de horas dormindo, os especialistas acreditam que menos de sete horas por noite, em uma frequência contínua, pode ter consequências negativas para o corpo e para o cérebro.

Dormir poucas horas por noite pode impactar nosso sistema imunológico mais do que imaginamos. Ao analisar a relação existente entre o sono e o metabolismo é difícil determinar se certas circunstâncias metabólicas levam ao sono, ou se a qualidade e a duração dele é que impulsionam o metabolismo.

Por exemplo, períodos mais longos de sono profundo são observados em indivíduos fisicamente ativos, tal como em aqueles com a glândula tireoide hiperativa, ambos os casos também associados a um metabolismo mais rápido. Contrariamente, indivíduos com uma hipoatividade da tireoide e, consequentemente, com um metabolismo mais lento, tendem a desfrutar de menos horas de sono profundo.

Inversamente, a privação do sono está ligada a várias mudanças adversas na atividade metabólica. Por exemplo, os níveis de colesterol sérico (uma hormônio envolvido na resposta ao estresse) aumenta a resposta imune é afetado, diminuindo a capacidade do corpo para processar a glicose, e o controle do apetite é alterado. Estas alterações metabólicas são também típicas em indivíduos cujo padrão do sono é perturbado devido, por exemplo, ao cuidar de um bebê ou a existência de uma doença. O resultado final é que o funcionamento normal do organismo é influenciado pela falta de sono, e com isso certas consequências metabólicas podem acontecer.

Um estudo publicado nesta terça-feira (29), em uma revista científica, pode ser a base para criação de vacinas mais eficientes pra doenças como AIDS, malária e tuberculose, que são baseadas na memória imunológica do nosso organismo. Isso porque, segundo esta pesquisa, o sono faz bem para a memória do nosso sistema imunológico.

Quando o corpo é atacado por um vírus ou uma bactéria, o exército de glóbulos brancos luta para destruir o inimigo. No fim da batalha, as células de defesa guardam pequenos pedaços do vírus ou da bactéria, que funcionam como uma memória do quartel.

Logo abaixo você confere uma matéria exibida ontem, 29 de setembro, no Jornal Nacional – da Rede Globo – a respeito deste interessante estudo. Vale muito a pena você começar o dia conferindo esta reportagem. Basta acessar o link e conferir:


http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/09/estudo-mostra-importancia-do-sono-no-combate-varios-tipos-de-doenca.html


FIQUE ATENTO!


As causas mais importantes de dificuldade para conciliar o sono estão relacionadas com o estresse provocado pelo dia a dia agitado e com a produção inadequada de serotonina, neurotransmissor que regula o ritmo do sono.

Apesar de existirem medicamentos que ajudam a dormir, a automedicação deve ser evitada. O ideal é adotar algumas medidas para ter um sono mais saudável, o que é possível com simples mudanças no estilo de vida. Confira algumas dicas para se ter uma boa noite de sono:


1) Pelo menos quatro horas antes de ir dormir, evite ingerir álcool e bebidas e alimentos com cafeína, como café, chás e chocolates. A cafeína tem efeito estimulante e acaba atrapalhando o sono. Já as bebidas alcoólicas irritam o estômago, o que pode causar desconforto gástrico durante a noite, sem contar que aumentam a diurese, provocando despertares durante a noite para urinar.

2) Procure ir para a cama sempre no mesmo horário. O metabolismo demora alguns dias para se acostumar com oscilações no horário do sono, por isso tente manter uma rotina todos os dias, inclusive nos fins de semana.

3) Durante a noite, geralmente na fase mais profunda do sono, a temperatura do corpo diminui, por isso o clima dentro do ambiente deve estar agradável. Temperaturas acima de 26 e abaixo de 18 graus Celsius não são confortáveis para o corpo, e o frio ou calor excessivos acabam fazendo com que se acorde no meio da madrugada.

4) Procure se alimentar três horas antes de deitar para que a digestão seja feita completamente antes de dormir. Coma alimentos mais leves e fáceis de ser digeridos, pois durante o sono o metabolismo desacelera. Alimentos de difícil absorção fazem o fluxo sanguíneo no estômago aumentar, enquanto o resto do corpo está mais relaxado, podendo causar refluxo.

5) Se não conseguir pegar no sono em 30 minutos, não fique deitado na cama, pois isso acaba estressando ainda mais. Levante-se e procure realizar uma atividade relaxante, como ouvir música suave ou ler, para ajudar a dormir.



Fontes de pesquisa:  http://drauziovarella.com.br/

  http://www2.uol.com.br/


INTERNE