O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Verão: Durante a estação mais quente do ano, os melasmas costumam piorar


Uso de anticoncepcionais, predisposição genética e gravidez podem causar as manchas. A melhor prevenção é usar protetor solar regularmente.

Melasma é o surgimento de manchas escuras na pele, que normalmente aparecem no rosto, mas pode ocorrer em outras áreas expostas ao sol, como braços e colo. É mais comum em mulheres entre os 20 e 50 anos, porém também pode afetar os homens. Quando surgem na gravidez, as manchas são chamadas de cloasma gravídico.

Tipos

 

- Melasma epidérmico: Quando há depósito aumentado de pigmento através da epiderme (camada mais superficial da pele).

- Melasma dérmico: Caracterizado pelo depósito de melanina ao redor dos vasos superficiais e profundos.

- Misto: Quando se tem excesso de pigmento na epiderme em certas áreas e na derme em outras regiões.

 

Ainda há três tipos comuns de padrão facial de melasma, o malar (maçãs do rosto), centrofacial (testa, bochechas, acima do lábio, nariz e queixo) e mandibular, conforme a região em que aparece.

Logo abaixo confira uma matéria do Diario de Pernambuco sobre dicas de cuidados com a pele:

 

Melasmas costumam piorar no verão; veja dicas de cuidados com a pele

Uso de anticoncepcionais, predisposição genética e gravidez podem causar melasma

 

Melasma: a melhor prevenção é usar protetor solar regularmente. Foto: Lorena Vago/Reprodução

 

Os melasmas, manchas amarronzadas que aparecem, em grande parte das vezes, no rosto, são escuras e irregulares. Durante o verão, as manchas costumam piorar, devido ao aumento da temperatura e da maior incidência da radiação solar, principal fator para o agravamento da doença. Além disso, o uso de anticoncepcionais, predisposição genética e gravidez podem causar melasma. “Apesar de ainda não ter cura, o melasma pode ser perfeitamente controlado por meio de tratamentos adequados e acompanhamento médico. Em casos específicos, o laser Nd YAG1064 Q-Swiched pode ser uma boa opção”, conta o dermatologista Bruno Vargas. “Já os lasers fracionados e a luz pulsada são contraindicados, pois agridem o melanócito e podem agravar o quadro da doença.”

Além de evitar exposição ao Sol, a melhor prevenção é usar protetor solar regularmente. Uma novidade é o uso de filtros físicos na formulação dos protetores solares. “O filtro físico contém cor e funciona como uma barreira física contra o espectro de luz visível, presente nas fontes de luz artificial, como as lâmpadas e também na luz solar”, diz o médico.

 

Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2016/01/28/internas_cienciaesaude,624160/melasmas-costumam-piorar-no-verao-veja-dicas-de-cuidados-com-a-pele.shtml

 

Os tratamentos para melasma variam, mas é importante que o paciente sempre se proteja contra os raios ultravioleta e a luz visível, além de procedimentos para o clareamento e uso de medicamentos tópicos e/ou orais.

Para iniciar o tratamento é necessário cuidar da proteção contra os raios solares, e, para isto, se deve aplicar um bom protetor solar com fator de proteção (FPS) mínimo de 30 nas regiões expostas do corpo. É importante que o paciente dê preferência para os que oferecem proteção contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB). O filtro ajuda a estabilizar os benefícios do tratamento.

Para ajudar na remoção das manchas podem ser utilizados cremes clareadores a base de hidroquinona, ácido glicólico, ácido retinóico, ácido azelaico, entre outras substâncias, e, os resultados demoram cerca de dois meses para aparecer. O método não funciona em todos os pacientes e, mesmo que os resultados apareçam mais rapidamente, é necessário tempo para estabilizar a condição e impedir que a mínima exposição ao sol traga os sintomas de volta. O tratamento será constante/contínuo.

Ainda é possível que o paciente e o dermatologista optem por tratar a doença com o uso do peeling, que pode clarear a pele de forma gradual e, muitas vezes, mais rapidamente que os cremes. Contudo, é bom se atentar para a profundidade do procedimento, lembrando que os mais superficiais são mais seguros que os profundos e o dermatologista poderá dizer qual é a forma mais adequada caso a caso.

Também existe a possibilidade de usar laser ou outras formas de energia luminosa para ajudar no processo, mas o profissional tem que ser reconhecido na técnica e ela deve ser a mais adequada para o caso. Se não for a mais recomendada ou não for aplicada corretamente, o procedimento pode gerar ainda mais manchas na pele do paciente.

Se depois de iniciar o tratamento do melasma o paciente notar que a pele escureceu, está irritada ou apresentou algum outro problema deve-se contatar o dermatologista o quanto antes.

O uso de protetor solar diariamente é importante para todas as pessoas, mas para aquelas que sabidamente têm tendência a adquirir o melasma ou se enquadram nos fatores de risco os cuidados devem ser ainda maiores.

O principal da prevenção é evitar a exposição ao sol e sempre usar um bom protetor solar no rosto e demais áreas expostas. A aplicação deve acontecer várias vezes ao dia com a finalidade de evitar o estímulo para produção de pigmento. Se a pessoa já apresentou os sintomas ou sabe-se que tem grande tendência a desenvolver melasma, ela ainda pode conversar com os médicos para, se possível, evitar pílulas anticoncepcionais e reposição de hormônios.

 

Fonte de pesquisa: http://www.minhavida.com.br/


INTERNE