O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

DICA CULTURAL DA INTERNE: Lazer também é saúde!

Mostra inspirada em Chico Science segue no Museu da Cidade do Recife, até domingo.


Público pode conhecer a exposição fotográfica, que apresenta 28 imagens inspiradas no líder do movimento Manguebeat.

Criada com a proposta de comemorar os cinquenta anos de nascimento de Chico Science, um dos artistas mais instigantes das últimas décadas, a exposição ‘Manguebeat’, instalada no Museu da Cidade do Recife, segue aberta ao público até o próximo domingo (28). A mostra é uma realização do museu em parceria com a Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), e apresenta 28 fotografias que retratam o universo temático criado pelo “caranguejo com cérebro”, como o cotidiano das ruas e dos mangues da capital pernambucana.

‘Manguebeat’ foi produzida por 22 alunos concluintes do curso de fotografia da Unicap, e teve curadoria da diretora do Museu, Betânia Corrêa, e das professoras da Unicap, Renata Victor e Germana Soares. As imagens, com impressão fine art e variação de tamanho entre 60×40 e 20×30, são inspiradas nos elementos estéticos presentes no movimento cultural liderado por Chico Science, como a lama e o mangue, o vestuário do folguedo cavalo-marinho e, claro, o famoso chapéu de palha.

De acordo com Jadson Barros, gerente de educação patrimonial do Museu da Cidade do Recife, cerca de 2.500 pessoas já visitaram a mostra desde sua abertura, no dia 17 de janeiro desde ano. “Como a inauguração aconteceu na semana pré-carnavalesca, a gente teve uma visitação muita boa nesse período, principalmente de turistas. Só no dia da abertura tinham quase 300 pessoas pelo museu. No geral, tivemos também muita visita de estudantes do ensino público e privado, bem como ONG, projetos sociais ou grupos específicos, como pessoas da terceira idade”, explica.

Além das fotografias, a mostra ‘Manguebeat’ conta com recursos multimídia. Num dos telões são projetados mais de 40 clipes de bandas que de alguma forma tem envolvimento com o manguebeat, como Sheik Tosado, Mundo Livre S/A, Nação Zumbi e Eddie. Noutro, o público poderá assistir ao documentário Manguebeat – 10 anos de efervescência cultural, lançado em 2003 e dirigido por Alessandro Guedes e Juliano Domingues, e que conta um pouco sobre como surgiu um dos movimentos culturais mais importantes do país nos últimos anos.

Ainda segundo Jadson Barros, no dia 12 de cada mês o museu oferece oficinas e atividades formativas que dialoguem com o equipamento cultural e que tenham alguma relação com a exposição em vigência. “No caso da mostra inspirada em Chico Science e no Manguebeat,  realizamos a Oficina de Ecobrinquedo, em parceria com a Lixiki, que teve a participação de alunos da Escola Municipal Edite Braga, do bairro de Afogados. A atividade estimulou as crianças a utilizarem garrafas PET para criarem seus próprios brinquedos”, comenta Jadson.

Um ponto interessante é que a exposição ‘Manguebeat’ dialoga diretamente com outra mostra, a ‘Capibaribe, meu rio’, numa interação tão sutil que os dois trabalhos parecem ter sido feitos em conjunto. Esta segunda, criada com 50 imagens do acervo próprio do museu, muitas da década de 40 do século passado, retrata o rio em seu curso pelo Recife, desde seus arrabaldes até sua região central. Após um ano em cartaz, seu encerramento também está marcado para o próximo domingo (28).

Quem quiser visitar o Museu da Cidade do Recife pode ir ao local de terça a domingo, das 9h às 17h. A entrada é gratuita.

 

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br/canal/artesvisuais/mostra-inspirada-em-chico-science-segue-no-museu-da-cidade-do-recife/

 

Serviço

Exposição ‘Manguebeat‘

Local: Museu da Cidade do Recife (Forte das Cinco Pontas), São José

Até domingo (28/02)

Gratuito

Informações: (81) 3355.3106 / 3107


Lembre-se que lazer também é saúde!


INTERNE