O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Fazer atividade física melhora o sono e dormir bem ajuda nos seus exercícios.


Na terceira matéria da série “DurmaBem: O segredo de uma vida melhor pode está em uma boa noite de sono!” – vamos debater a estima dos dois hábitos para a saúde, que eles são complementares e que o importante é manter o equilíbrio e não sacrificar um pelo outro. O nosso entrevistado de hoje é o profissional de Educação Física da Interne – Rafael Brainer.

Você já percebeu que durante estes últimos dias – a Interne Soluções em Saúde vem exibindo séries que debatem a qualidade da nossa hora de dormir – em decorrência da comemoração da Semana Mundial do Sono – celebrado do dia 21 até o próximo dia 28 deste mês.

Na terceira matéria da série “DurmaBem: O segredo de uma vida melhor pode está em uma boa noite de sono!” – vamos conversar sobre a regularidade de hábitos do sono versus a qualidade de vida. O nosso entrevistado de hoje é o profissional de Educação Física da Interne – Rafael Brainer.

Dormir ou fazer atividade física? O que é melhor? Os dois hábitos são muito importantes para a saúde e são complementares, o importante é manter o equilíbrio e não sacrificar um pelo outro.

Dormir bem - cerca de 7 a 8 horas por dia - pode melhorar os efeitos do exercício físico já que o metabolismo funciona melhor. Com isso, a pessoa pode perder mais gordura e ter mais precisão nos movimentos que faz durante a atividade.

É bom isso o que fala o nosso entrevistado de hoje. Segundo Rafael, praticar exercícios físicos ajuda a liberar endorfina, que traz uma sensação de bem-estar. “Então, buscar uma atividade adequada ao seu organismo também vai te dá um melhor controle sobre a respiração, diminui a gordura corporal. A prática de exercícios serve como um importante auxiliar na melhora da qualidade do sono”, conta o profissional.

“Para o exercício – uma noite de sono bem dormida ajuda a potencializar os efeitos do treinamento, já que os músculos precisam do descanso para metabolizar as células musculares. Já no caso do sono a prática regular de exercícios adequados ajudam em uma melhor noite de sono”, detalha Rafael a respeito da relação direta entre os dois hábitos e sobre quais aspectos eles se relacionam.

No entanto, é importante evitar a prática minutos antes de ir para a cama. A prática libera substâncias que fazem com que a temperatura corporal aumente. E o sono começa justamente quando a temperatura diminui. “Depende muito do tipo de exercício que a pessoa faz e a intensidade deste treinamento. Mas a dica é que se for treinar perto do horário de dormir, que sejam feitos exercícios leves – como simples caminhadas e exercícios de alongamento, por exemplo”, orienta Rafael.

Ele ainda destaca que a corrida é um grande aliado – porém deve-se avaliar o horário que está sendo praticada, o volume e a sua intensidade.

Embora a atividade física seja essencial, não resolve necessariamente todo tipo de distúrbio do sono. A prática esportiva pode ajudar a dormir melhor, mas funciona como um auxiliar, um coadjuvante, não atua diretamente em problemas nos casos crônicos de insônia – por exemplo.

O efeito do exercício físico nesses casos será indireto, uma vez que quem sofre de apneia, em geral, também é obeso e a atividade física ajudará a controlar o peso e, consequentemente, esse distúrbio poderá diminuir. Portanto, além das atividades físicas – o ideal é procurar especialistas do gênero para tratar os casos de distúrbios do sono!


INTERNE