O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

INTERNE ALERTA: Câncer Colorretal





Trataremos hoje no “Interne Alerta” de um tipo de câncer que acomete um segmento do intestino grosso (cólon) e o reto. A neoplasia colorretal é tratável e curável na maioria dos casos, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores surge por conta de lesões benignas que podem crescer na parte interna do intestino grosso. O Inca estima que somente no Brasil 34.280 novos casos sejam detectados em 2016.

Entre as maneiras de prevenção, a alternativa considerada mais eficaz é ter uma dieta rica em fibras, com alimentos como frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos e sementes, além da prática de atividade física de forma regular. Evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas é uma das instruções, assim como uma alimentação baseada em carnes processadas e um histórico familiar também aumentam a probabilidade de desenvolver a doença.

Estima-se que a maior incidência seja a partir dos 50 anos. A partir desta faixa etária, o desenvolvimento do quadro de anemia com origem indeterminada e perda crônica de sangue, pode ser um grande indicativo do desenvolvimento da doença, e uma endoscopia gastrointestinal superior e inferior deve ser feita.

A mudança no hábito intestinal, desconforto abdominal com gases ou cólicas, sangramento nas fezes, podem ser sinais. Pode ocorrer também perda de peso aparente, cansaço, vômitos e náuseas.

O diagnóstico requer biópsia. A cirurgia é o tratamento inicial, retirando parte do intestino afetada e os nódulos linfáticos próximos à região; A radioterapia, associada ou não a quimioterapia, é o segundo passo. Quando há metástase para outros órgãos, as chances de cura são reduzidas consideravelmente.



Fonte: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/inca/portal/home