O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Educação Continuada de enfermagem na assistência domiciliar: Captação, capacitação e atualização em saúde


Este artigo científico apresentado no final do ano de 2011 em São Paulo no Congresso Interdisciplinar de Assistência Domiciliar (CIAD) entre os dias 18, 19 e 20 de novembro.  A apresentação deste artigo foi muito importante, pois foi algo de nível nacional onde os participantes da palestra puderam conhecer o trabalho das enfermeiras Cintia Pinto e Carolina Almeida, ambas as funcionárias da Interne Soluções em Saúde. O tema do artigo trata sobre a importância de uma educação constate e indireta para o beneficio do paciente

OLIVEIRA, C.A.S.; PINTO, C.M.S.

Interne Soluções em Saúde - Recife

Introdução: O setor da Educação Continuada em Enfermagem promove o cuidado indireto ao paciente por proporcionar o estímulo, sensibilização e capacitação dos profissionais da equipe de Enfermagem para exercer uma assistência domiciliar de qualidade. Assim, além da responsabilidade de apoiar e auxiliar o desenvolvimento da assistência, o setor da Educação da instituição estudada ainda possui a incumbência de realizar o processo de recrutamento e seleção de profissionais técnicos de Enfermagem habilitados para o cuidado domiciliar. A especificidade do cuidado e o profissionalismo são imprescindíveis para o adequado desenvolvimento dessa assistência. Tal assertiva advém do fato dos técnicos de Enfermagem não obterem apoio presencial da equipe multiprofissional de saúde, no local de atuação, as residências dos pacientes. A importância da padronização de técnicas, postura ética e comportamental são vislumbradas e buriladas, pela Educação, em cada atuação junto aos profissionais técnicos de Enfermagem. Descrição do serviço: A Educação Continuada em Enfermagem analisada é responsável pela triagem de currículos, aplicação e correção de avaliações teóricas e práticas, execução de entrevistas técnicas, categorização do profissional quanto as suas habilidades técnicas, e implementação de treinamentos. Estes últimos podem ser classificados como: Inicial, quando são oferecidas informações referentes ao serviço a ser prestado e revisão de procedimentos técnicos básicos; de Reciclagem, sendo treinamentos voltados para a atualização de conhecimentos na área da saúde; ou de Capacitação, momento em que são oferecidos treinamentos para a aquisição de novos saberes e habilidades. Conclusão: A Educação Continuada em Enfermagem é uma atividade de campo extenso e que está diretamente relacionada ao serviço de saúde oferecido pelas instituições de assistência domiciliar, se configurando como uma ferramenta relevante para o cuidado.

Carolina Almeida Simões de Oliveira - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Forma de apresentação: Pôster

INTRODUÇÃO

A Educação Continuada em Enfermagem é um setor de apoio a uma assistência domiciliar de qualidade. Segundo Bezerra (2003) apud Seiffert (2009), a Educação Continuada se configura como um processo que busca proporcionar ao indivíduo a aquisição de conhecimentos, para que ele atinja sua capacidade profissional e desenvolvimento pessoal, considerando a realidade institucional e social. Dessa forma, objetiva-se descrever as atividades desempenhadas pelo setor da Educação Continuada em Enfermagem de uma instituição de assistência domiciliar, durante o primeiro semestre do ano de 2011.

RELATO DE EXPERIÊNCIA

O setor da Educação Continuada de Enfermagem da instituição de assistência domiciliar analisada desenvolve três atividades principais: a captação de técnicos de Enfermagem; a capacitação e a atualização da equipe de Enfermagem. Tal equipe tem uma representatividade de 67% de todos os funcionários da instituição. A atividade de captação de técnicos é caracterizada por um fluxo semanal de triagem de currículos; confecção, aplicação e correção de avaliações teóricas; entrevistas técnicas; e o treinamento inicial. Este último se insere como uma das categorias dos treinamentos oferecidos aos colaboradores de Enfermagem. Seja durante as etapas do processo de seleção, ou durante o desenvolvimento da assistência domiciliar executada por já colaboradores, os profissionais da Enfermagem se aproximam, paulatinamente, da equipe da Educação, fato que facilita o reconhecimento dos seus potenciais e também dos aspectos a serem burilados. Essa aproximação se dá através de constantes encontros, nos momentos da seleção, quando os candidatos são convidados a comparecerem à sede da empresa; durante treinamentos; ou ainda, através de contatos telefônicos. O acompanhamento e a análise da equipe de Enfermagem e do grupo de candidatos à vaga de técnicos são constantes. Em todas as atividades desenvolvidas pela Educação não são somente avaliados os conhecimentos teóricos e a capacidade de apreensão cognitiva dos profissionais, mas também o comportamento, a postura adotada, a entonação da voz, o modo com que simples ações rotineiras são praticadas. É avaliada, assim, a linguagem não-verbal do profissional, e toda sua individualidade e complexidade inerentes a todos os seres humanos. No processo de seleção, a Educação Continuada tem a possibilidade de selecionar profissionais que irão interagir com indivíduos, ditos pacientes que estão vivenciando um momento de maior sensibilidade, devido ao processo entre doença, tratamento e reabilitação, necessitando de um cuidado que sobreponha a sua situação física e compreenda toda a sua complexidade e necessidades através de um reconhecimento holístico e uma assistência integral. Para possibilitar a execução desse cuidado especializado, a Educação promove uma série de treinamentos, como apresentado no organograma a seguir:


CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Educação Continuada, na instituição de assistência domiciliar analisada desenvolve indivíduos, e está envolvida com a promoção da possibilidade de encontros entre seres. O adequado vínculo entre eles e a facilitação do processo de adaptação do cuidado está diretamente relacionado ao trabalho desenvolvido pela Educação. Assim, a existência de tal setor se configura como extremamente relevante para a assistência de pacientes em internação domiciliar.

REFERÊNCIAS

CASTRO, Rosiani B. R. de; SILVA, Maria Júlia Paes da. A comunicação não-verbal nas interações enfermeiro-usuário em atendimentos de saúde mental. Rev. Latino-Am. Enfermagem,  Ribeirão Preto,  v. 9,  n. 1, Jan.  2001

Lacerda MR, Giacomozzi CM, Olinski SR, Truppel TC. Atenção à saúde no domicílio: modalidades que fundamentam sua prática. Saúde Soc. 2006

SILVA, Gizelda Monteiro da; SEIFFERT, Otília Maria L. B.. Educação continuada em enfermagem: uma proposta metodológica. Rev. bras. enferm.,  Brasília,  v. 62,  n. 3, June  2009.