O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Você sabe como surgem as alergias? Entenda!


Uma pessoa pode sentir no dia a dia sintomas comuns provocados pela alergia. Condições ainda mais graves, como ataques de asma, podem ter também um estímulo alérgico subjacente.

 

Alergia ou reação de hipersensibilidade é uma resposta exagerada do sistema imunológico após a exposição a uma série de agentes, em indivíduos predispostos geneticamente. Agentes que costumam causar alergias são:

  • Ácaros
  • Fungos
  • Insetos,Pelos de animais
  • Pólens
  • Alimentos
  • Medicamentos.

 

A herança genética é a base para se ter alergia, entretanto ela só será desencadeada com a exposição a fatores ambientais. Pode acometer indivíduos em qualquer faixa etária, sendo atualmente considerada um problema de saúde pública por acometer cerca de 10% a 20% da população mundial, comprometendo de forma significativa a qualidade de vida de adultos e crianças.

Existem algumas doenças alérgicas como:

 

Alergias respiratórias

As alergias respiratórias são doenças inflamatórias crônicas que acometem as vias respiratórias, sendo a asma e a rinite alérgica as doenças mais comuns.

 

Asma

A asma se manifesta clinicamente por crises de falta de ar ou cansaço, chiado no peito e sensação de aperto no peito, geralmente acompanhada de tosse. Cerca de 80% dos pacientes que tem asma, apresentam também rinite.

Os principais fatores desencadeantes das crises de asma são: a exposição aos alérgenos inalantes como ácaros da poeira de casa, fungos (mofo), pelos de animais, baratas, pólens e fatores irritantes como:

 

  • Odores fortes
  • Mudanças de temperatura
  • Fumaças e poluição
  • Infecções causadas por vírus e bactérias
  • Alguns tipos de medicamentos
  • Fatores emocionais
  • Exercício físico
  • Refluxo gastroesofágico
  • Fatores relacionados ao trabalho.
  • Rinite alérgica

 

A rinite alérgica manifesta-se por crises de espirros repetidos, coriza liquida e abundante, coceira (em nariz, olhos, garganta e ouvidos), congestão nasal, alteração do olfato e do paladar, olhos avermelhados e irritados. Nos casos de gotejamento de secreção pós-nasal e sinusite associada, pode ocorrer tosse, em geral, seca e com piora noturna acentuada.

A repetição das crises de rinite pode desencadear complicações como infecções (sinusite, amigdalites, faringites e otites repetidas), levando à necessidade de uso repetido de antibióticos.

O diagnóstico da rinite alérgica e asma se baseia em uma análise do histórico dos antecedentes pessoais e familiares, dos sintomas, aliados aos achados do exame físico. Os testes alérgicos realizados na pele ou no sangue definem o diagnóstico etiológico.

 

O tratamento se baseia em:

 

Avaliação e controle de fatores que podem causar ou agravar a doença;

Controle dos ácaros da poeira no ambiente da casa, em especial no dormitório do alérgico;

Uso de medicamentos, utilizados no alívio das crises, controle da doença e prevenção de novas crises;

Imunoterapia (vacina para alergia), que é o único tratamento capaz de modificar a história natural da doença;

Alergias dermatológicas.

 

As doenças alérgicas de pele, também atingem indivíduos que tenham tendência hereditária (genética). As principais manifestações são: dermatite atópica, dermatite de contato, urticária, angioedema e estrófulo (alergia a picadas de mosquitos e pulgas).

Dermatite atópica: as manifestações estão relacionadas com uma predisposição genética (hereditária) para maior produção de anticorpos IgE, determinado uma hiper-reatividade da pele, onde os pacientes reagem exageradamente aos estímulos ambientais (alérgenos e irritantes). Manifesta-se como eczema, que são lesões inflamatórias crônicas e/ou recorrentes da pele, acompanhadas de coceira intensa e pele seca. As localizações das lesões variam com a idade e podem se manifestar de forma leve até casos graves, onde as lesões são intensas e disseminadas.

Dermatite de contato: As reações a substâncias em contato com a pele podem ocorrer pela ação direta sobre a pele (dermatite de contato irritativa, p.ex. detergentes e água sanitária) e por mecanismos alérgicos, p.ex. bijuterias e esmaltes. Caracteriza-se pelo aparecimento da lesão na área da pele que entrou em contato com o alérgeno, e a base do tratamento consiste na descoberta da causa e seu afastamento.

Urticária: é multifatorial, podendo ser desencadeada por alimentos, medicamentos, picadas de insetos himenópteros (abelha, vespa e formiga), infecções, doenças auto- imunes, doenças hematológicas, distúrbios hormonais, e uma parcela pode ser idiopática, onde a causa não é detectada ou não identificável. As lesões são em forma de placas avermelhadas, com coceira intensa, de localização variável e duração fugaz. As urticárias podem ser agudas ou crônicas (as que tem mais de 6 semanas de evolução). O tratamento consiste em identificar a causa que originou o problema, com base na história clínica e em exames complementares.

O tratamento com anti-histamínicos serve para alívio dos sintomas e geralmente tende a ser de uso prolongado, e por mais que não se tenha a cura, é possível obter melhor qualidade de vida. Denomina-se Angioedema, quando atinge as camadas mais profundas da pele, atingindo lábios, pálpebras, mãos, pés, genital e face.

Estrófulo: se refere as alergias causadas por picadas de insetos, como pernilongo, borrachudos, mosquitos e pulgas.

 

Alergias alimentares

A maioria dos casos de reações adversas aos alimentos são de origem não alérgica, como é o caso das reações tóxicas (diarreia após ingestão de alimentos com toxinas bacterianas) e as intolerâncias alimentares (por dificuldade de digestão do alimento, como nos casos de intolerância a lactose). Em se tratando de alergia alimentar, é necessário o envolvimento do sistema imunológico que responde de forma exagerada e anormal contra constituintes dos alimentos independentemente da quantidade ingerida, e constituem ainda um grande desafio quanto ao diagnóstico e tratamento.

As principais manifestações de alergia alimentar são: dermatológicas (urticária, angioedema, dermatite atópica), gastrointestinais (vômitos e diarreia) e anafilaxia.

Vários alimentos podem causar reações alérgica:

 

  • Leite de vaca;
  • Ovo;
  • Amendoim;
  • Soja;
  • Peixes e frutos do mar, sendo que o camarão é a principal causa de alergia alimentar em adultos no nosso pais;
  • Nozes.


Diagnóstico de Alergia

O diagnóstico das alergias e doenças alérgicas é realizado principalmente por meio do histórico clínico e do exame físico do paciente. Quando necessário, exames são utilizados para complementação e/ou confirmação do diagnóstico clínico. Os principais exames utilizados em alergia são:

 

  • Testes cutâneos de leitura imediata e de contato
  • Exames laboratoriais, como a dosagem de IgE total e IgE específica no sangue
  • Diagnóstico por imagem, como radiografia e tomografia
  • Testes de provocação
  • Dietas de eliminação.

 

Tratamento de Alergia

A alergia e as doenças alérgicas são tratadas com a associação do tratamento clinico às medidas de controle ambiental, para o sucesso e controle do quadro. Em caso de falha no tratamento clínico, pode-se utilizar a imunoterapia alergeno-específica, que é o único tratamento que interfere no mecanismo básico da doença alérgica.

 

Fontes: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/alergia


Interne