O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Interne Mais Saúde: Mês Mundial do Combate ao Câncer


A Interne Soluções em Saúde aproveita que ontem - domingo, 08 de abril - foi celebrado o Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, para reafirmar que a prevenção é o caminho mais notável neste combate e que também a busca pela qualidade de vida, regularmente, reflete bastante nesta luta. Todos juntos nesta causa!

O câncer é considerado um problema de saúde pública em todo o mundo e sua incidência cresceu 20% na última década. No Brasil, é a segunda causa de morte por doença. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) é de aproximadamente 576 mil novos casos tenham sido registrados no passado. Em 2011, houve mais de 184 mil mortes pela doença. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a expectativa para 2030, em todo o mundo, é de 27 milhões de novos casos e 17 milhões de óbitos. Os países em desenvolvimento serão os mais afetados, incluindo o Brasil. A doença é uma das grandes preocupações mundiais em políticas de saúde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, pelo menos 33% dos cânceres mais comuns podem ser evitados diminuindo-se o consumo de álcool e adotando dietas mais saudáveis, a exposição moderada ao sol e a prática de atividade física regular. A OMS estima que somente o abandono do hábito de fumar aumenta a proteção contra a doença em cerca de 50%.

A intenção é mostrar que as soluções para a doença existem e podem estar ao alcance de todos. A principal delas é lembrar que por meio de escolhas saudáveis é possível prevenir cerca de um terço de todos os casos da doença.

Além de uma boa alimentação que priorize alimentos orgânicos e não industrializados e da prática de atividades físicas, a campanha do Dia Mundial do Câncer incentiva o abandono do cigarro, a redução do consumo de álcool, a manutenção do peso corporal dentro dos limites adequados e a proteção contra os raios ultravioletas.

Estudos já relacionam o consumo de gordura, por exemplo, em carnes e frituras aos cânceres de próstata, do reto e do intestino. Também existe a relação entre o câncer de mama e a obesidade.

Segundo o INCA, no Brasil este ano os cânceres de pele não melanoma serão muito frequentes, o que reforça a magnitude do problema no país. Segundo a estimativa, o câncer de pele do tipo não melanoma (182 mil casos novos) será o mais incidente na população brasileira, seguido pelos tumores de próstata (69 mil), mama feminina (57 mil), do cólon e reto (33 mil), pulmão (27 mil), estômago (20 mil) e colo do útero (15 mil).

Vamos nos prevenir e combater este mal!